quarta-feira, 30 de novembro de 2016

A (primeira) Pietà do Michelangelo

 post dedicado à Deise del Roveri e ao Roberto Pino
Uma das coisas mais gostosas da viagem à Itália é perceber continuidades e diferenças na arte e na arquitetura deste maravilhoso país. A viagem tem muitas vezes o sabor lúdico de um enorme e maravilhoso quebra-cabeças. Hoje conhecemos quatro “Pietás” criadas pelo grande gênio que foi Michelangelo Buonarroti.


Difícil falar de uma das obras mais significativas de todos os tempos como a primeira Pietà do Michelangelo... mas vamos começar do começo para nos aproximarmos aos poucos desta obraprima.

Foto da pedreira de Carrara, onde Michelangelo passava meses procurando seus blocos para esculpir; obrigada pela foto, Claudia Groh

O garoto nasceu em 1475, tinha 22 anos e caráter forte, enorme sensilibilidade e grandiosa habilidade que prometiam muito. Ele tinha sido aluno do Ghirlandaio e do Bertoldo, tinha frequentado a corte de Lourenço de Medici e conhecido outros artistas famosos, filósofos, e um certo frade domenicano que ainda daria muito o que falar, o Savonarola, que pregava apaixonadamente por uma reforma da igreja.
Estas experiências foram fundamentais para o jovem Michelangelo, que acabava de receber as sementes da sua pópria concepção de mundo, impregnada de reflexões que marcariam profundamente a história do mundo ocidental.

Foto RestaurArs

No ano de 1492 Michelangelo presenciava a descoberta da América, a morte do Papa Inocêncio VIII (a ascensão do Papa Rodrigo Borgia), e a morte de Lourenço de Médici! Dizem que Michelangelo ficou tão abalado com a morte de seu amigo e protetor, que não conseguiu fazer nada por um bom tempo.

Alguns anos depois, Michelangelo fez uma escultura de um pequeno Cupido (hoje desaparecida), que foi vendida como uma falsa antiguidade através de um comerciante de Roma ao cardeal Riari. Riari descobriu que a sua aquisição era falsa e quis seu dinheiro de volta. Apesar desta esdrúxula situação nasceu uma amizade entre os dois e em 1496 Michelangelo foi à Roma encontrá-lo e assim que chegou recebeu do dito cardeal a sua primeira comissão para uma escultura em tamanho natural de um “Bacco”. Neste período Michelangelo estava hospedado na casa de um banqueiro chamado Galli (entre Piazza della Cancelleria e Piazza Navona), e ali mesmo, no pátio desta casa, ele trabalhou nessa escultura. O Galli parecia mais impressionado pelas habilidades do grande escultor do que o cardeal Riari, tanto que em 1498 foi o Galli que assinou o contrato para a comissão que transformaria a vida do Michelangelo: a Pietà para Jean de Bilhères.

Foto RestaurArs

O tema “Pietà” não está na Bíblia. Era um tema do norte da Europa, mais precisamente da Alemanha, mais precisamente ainda conhecido como “Vesperbild”: tratava-se de imagens devocionais de tamanhos diferentes com o Jesus morto nos braços de Maria. Este foi o tema escolhido pelo francês Bilhères para a sua própria sepultura. A escultura deveria adornar uma pequena capela na igreja de Santa Petronila, colada na Basílica de São Pedro.

O que podemos dizer do resultado final desta obraprima de Michelangelo?

Foto RestaurArs

A primeira coisa que vemos e que é clara quando observada à distância é a forma piramidal. Padre, Filho e Espírito Santo formam três pontos, que por sua vez ligados formam um triângulo que indica que a cena alí representada está dentro de um conceito divino que transcende a dor (Prof. G.C. Argan). Jesus parece adormentado no colo de Maria, base do conceito cristão de morte, pois através do sono acorda-se para a vida eterna em Cristo.

Foto RestaurArs

A Virgem foi representada mais jovem do que o Jesus, já na casa dos 30, quase como se fosse uma previsão do futuro; a sua mão esquerda confirma e aceita a Paixão, a realização do fato consumado. Temos aí dois períodos de tempo nesta figura (Prof. G.C. Argan): a mão direita de Maria sustenta seu corpo mas não o toca diretamente; existe um tecido entre a mão da Virgem e o corpo de Jesus.

Foto do estúdio na pedreira de Carrara; obrigada pela foto, Claudia Groh

A Virgem está vestida em um modo muito mais próximo à uma Artemis do que à uma das tantas representação dos séculos XIV e XV (Mestre da Pietà Fogg, Beato Angelico, Masaccio) que provavelmente foram vistas por Michelangelo. A faixa que atravessa em diagonal o seu tórax tem a assinatura do artista, o que nos faz pensar que alguma motivação muito forte o levou a fazê-lo, pois ele não tinha o hábito de assinar as suas obras.

A perfeição da musculatura do corpo de Jesus nos confirma os estudos de anatomia feitos por Michelangelo, que rendem perfeitamente não só as proporções do corpo humano, mas a falta de tensão de seus membros e o peso do seu corpo. Comovente, na minha opinião, seu pé esquerdo suspeso no ar e sua mão direita, com o índice que desaparece nas dobras do manto da Virgem.

Foto do estúdio na pedreira de Carrara; obrigada pela foto, Claudia Groh

Na testa de Maria encontra-se uma linha que foi realizada com o intuito de criar um véu imaginário através de um efeito da luz da capela da igreja de Santa Petronilla.

Foto da pedreira de Carrara, onde Michelangelo passava meses procurando seus blocos para esculpir; obrigada pela foto, Claudia Groh

É um mistério o funcionamento da mente e das ações do gênio. Apesar de tentarmos circundar a dinâmica da criação desta obra tão pungente, não creio que seja possível aproximá-la o quanto gostaríamos. Resta-nos a difícil tarefa de contemplá-la na sua perfeição.

Este post faz parte de uma bloggagem coletiva que está saindo hoje, junto com Magê e Babi, sobre as três principais, para mostrar pra você como nós nos divertimos neste país. A “Pietà Rondanini: Michelangelo em Milão" foi escrito pela Magê e a “Pietà Bandini – Consolação e Tormento de Michelangelo, post escrito pela Babi.

Bibliografia:

Argan, G. C., Storia dell'Arte Italiana, Milano, Ed. Sansoni, 1988
Wundram, M., Renaissance, Reclam, Ditzingen, 2004
Kupper, D.,
Michelangelo, Leipzig, Rowohlt, 2004
von Brauchitsch, B., Michelangelo, Berlin, Suhrkamp, 2009
Enciclopédia Treccani On line: http://www.treccani.it/
Strinati, C., La Pieta' di Michelangelo descritta dal Prof. C.Strinati, https://www.youtube.com/watch?v=i_0-nuSz8m4

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

O III Encontro Europeu de Blogueiros Brasileiros em Berlim

O trabalho do blogger é, em primeiro lugar um trabalho solitário: eu gosto de uma coisa e quero comunicar ao mundo como eu vejo aquela coisa. O fato de encontrar pessoas que têm a mesma paixão por viagens e moram na Europa é uma experiência impagável. Além de termos muitas coisas em comum, todos nós temos pontos fortes e fracos e enfrentamos dificuldades semelhantes no dia a dia da profissão. O fato de poder trocar informações é extremamente enriquecedor, sobretudo em um ambiente construtivo que caracteriza essa “creatura” chamada Encontro Europeu de Blogueiros Brasileiros que nasceu em 2014 em Barcelona e teve a sua III edição neste ano em Berlim.


  Foto: Luis Felipe Minnicelli, luisfelipeminnicelli

Nicole, Pacelli (http://www.agendaberlim.com) e Claudia (http://www.brasileiros-mundo-afora.com/) organizaram um final de semana em Berlim para 60 blogueiros, com palestras e uma programação para nos aproximar uns dos outros, viabilizando futuros projetos e colaborações, além de muita diversão na deliciosa capital alemã. Eles até conseguiram o patrocínio de empresas que acreditaram no projeto e na nossa força e facilitaram estadia, almoços e locomoção pela cidade, com direito à degustação em uma microcervejaria com produção própria no coração de Berlim.

 Indo ao Circus Foto: Luis Felipe Minnicelli, luisfelipeminnicelli

Sexta feira cheguei na cidade e nosso primeiro encontro foi um passeio por Kreuzberg com a Nicole (Agenda Berlim, link abaixo). Desde que iniciei a trabalhar com passeios guiados na Itália em 2007 acredito que passear com alguém que mora e estuda a cidade é a melhor coisa do mundo, pois nos dá coordenadas importantes que podemos utilizar depois nas explorações da cidade - acredito tanto nisso que esta atividade é o meu ganha pão há seis anos. 

  Os organizadores Pacelli, Nicole e Claudia - Foto: Luis Felipe Minnicelli, luisfelipeminnicelli

À noite tínhamos este encontro no Circus Hostel Berlin para tomar a cerveja feita por eles: o fim de semana inciava já com um presentão! Meus parceiros de conversa longa foram o Rodrigo da Trupe da Trip (link abaixo, no pessoal da Alemanha) e o Edson do Ligado em Viagem (link também abaixo), e pelo teor da conversa já senti que estava no lugar certo!


No sábado, após entrarmos na sala de palestras da Digital Eatery, no super-endereço “Unter den Linden”, com a decoração super caprichada, brindes dos patrocinadores e nossos crachás, fomos recebidos pelos organizadores Claudia, Nicole e Pacelli... e começou! 

O Daniel Duclos do Ducs Amsterdam (link abaixo) contou sobre a sua façanha de explorar as possibilidades de seu blog a 360°C, e além de tudo incluir toda a galera que mora na Holanda. Entre tantas outras coisas, a importante tarefa de estabelecer metas (e eventualmente cumpri-las!) sistematicamente e ouvir como ele lida com o problema da divisão do tempo entre família e dedicação ao trabalho foram para mim fundamentais. Percebi como neste momento estou fazendo o trabalho de 4 pessoas e vou ter uma vida muito curta; estou já tratando com possíveis colaboradores.

Foto: Claudia, do Brasileiros Mundo Afora

Com certeza a grande estrela foi o Erick do blog Eurodicas (link abaixo), o "homem-domador-de-unicórnios” fala de SEO e otimização de blog como se estivesse contando sobre a lista de compras da feira. E o meu está todo errado, mas ele já vai corrigir tudo isso! 
 
A Priscila e o Rafael do Cultuga trouxeram dicas sobre a produção de conteúdo e crise de creatividade. A Juliana (Eu ando pelo Mundo) e a Rita (O porto encanta) contaram sobre uma parceria fantástica que fizeram para um projeto de caminhadas. Eu sou apaixonada por caminhos e apesar de morar há 18 anos na Itália, conheço muito melhor os pequenos caminhos de Cascais à Sintra e a uma rota na Dordogne (de Domme a Lascaux), por ter trabalhado em 2009 para uma grande empresa inglesa que só organiza viagens à pé. Agora que encontrei estas duas, já quero trazê-las para caminhar comigo pela Itália!

 Foto: Claudia, do Brasileiros Mundo Afora

Minhas capacidades técnicas são extremamente limitadas e por isso foi muito bom ouvir a discussão moderada pela Rode Veiga (Entre duas culturas) sobre redes sociais. No palco e super-entusiasmadas, Gisele Almeida (Viajar pela Europa), Isabela Discacciati (Italia per Amore), Leticia Diethelm (Viva Viena), Suzana Paquete (That Good Trip) e Camilian Pereira (Destino Munique) arrasaram com suas intimidades com Twitter, Snapchat, Facebook, Instagram e Youtube.

 Foto: Claudia, do Brasileiros Mundo Afora

O nosso almoço neste dia foi gentilmente oferecido pela GetYourGuide; e assim que acabou, já não éramos mais os mesmos que alí tinham chegado pela manhã! Tínhamos adquirido uma grande quantidade de insights para melhorar nossos blogs, feito vários contatos para futuros projetos e sobretudo estávamos altamente motivados para continuar fazendo o nosso trabalho.

E lá fomos nós para o Scandic Hotel, conversando e curtindo a cidade, a lua linda e o frio que na Alemanha funciona como dois tapas nas bochechas que te deixa ligadão como você nunca esteve na sua vida!

 Foto: Claudia, do Brasileiros Mundo Afora

O Scandic deu seu show de profissionalidade com uma recepção de primeira, seu pessoal nota 10 e uma super comida. Tive, então, mais uma surpresa com a distribuição de brindes que blogueiros tinham trazido de seus países. Como estava na mesa vencedora, meu prêmio foi... um visita guiada com a Rê Autran do As Viagens da Rê – não podia ser mais perfeito como presente!


No final da noite ainda consegui responder a e-mails, comprar tickets e organizar tours em Roma antes de dormir, pois estava galvanizada com os acontecimentos do dia.


Domingo de manhã as palestras já tinham acabado e o nosso programa era subir no Panorama Punkt, que presenteou a todos nós com a subida de elevador, um must em Berlim.
O terraço sobre dois andares tem uma vista incrível e fizemos zilhões de fotos, blogueiros de blogueiros, fanáticos de selfies despararam por todos os lados e teve até sessões de Snapchat para os fiéis seguidores. Foi uma farra; assim como foi o máximo tomar um café/prosecco no bar deles antes de pegar o elevador para descer e curtir mais um pouco a cidade com os novos amigos.

Luis Felipe Minnicelli e Claudia, do Brasileiros Mundo Afora trabalhando

Apesar de ter pensado de fazer o tour do bairro judeu com a Nicole, tinha que finalizar umas conversas com as italianas do grupo que moram longe mim, por isso dia 18.01.2017 estarei em Berlim para recuperar este tour, ouviram, Casal 20, Nicole e Pacelli? Estou brincando, a gente se fala!

Segunda-feira ainda deu para ir dizer um tchau ao pessoal que conseguiu alongar bem a viagem e andar de Trabi (o carrinho da ex-Alemanha Oriental) e conhecer o Thierry Noir, que foi o primeiro artista a pintar o muro de Berlim, em 1984.

Olha lá, se não fosse o Pacelli&Cia. o carro não partia!


Este foi o presente dos organizadores que fechou com chave de ouro este mega-evento incrível: não sei como agradecê-los por essa oportunidade, pelo cuidado, atenção e profissionalidade que tiveram ao realizar este evento!

Obrigada do fundo do meu coração aos partecipantes por me fazerem sentir em ótima compagnia!

Note que a Martinha já está rindo antes de tomar o "happynizer" que nos ofereceram lá - e que eles vendem!

Nos vemos em Paris!

 
Links aos blogueiros que parteciparam do encontro (valeu Rafa do Viagem Hamburgo!):

Alemanha
Agenda Berlim (Nicole e Pacelli) – Backpackingalone (Raquel) – Brasileiros Mundo Afora (Claudia) – Claudias Welt (Claudia) – Conexão Berlim (Dulcineia) – Destino Munique (Camilian e Rodrigo)- Entre Duas Culturas (Rode) – Grossa, Eu? (Katia) – Ligado em Viagem (Edson) – Maria de Lux (Rafaella) - Trupe da Trip (Rodrigo) – Viagem Hamburgo (Rafaella) – Viagem Jovem (Gabriele) – Viajando por Aí e Vou para a Alemanha (Márcia e José) – Viajoteca (Carina) – Um Casal na Alemanha (Patricia)

Áustria
Femme Volátil (Kely) – Viva Viena (Leticia)

Espanha
Almost Locals (Sarah) – Barcelona Emociona (Helianny) – De Café por Barcelona (Mônica) – Manaira AraujoSol de Barcelona (Cristina) – That Good Trip (Suzana)

França
Direto de Paris (Renata) – SOS Viagem (Louise) – Viajoteca (Martinha)

Holanda
Ana de Amsterdam (Ana Paula) – Ducs Amsterdam (Daniel) – Turista Fulltime (Regina)

Inglaterra
Blog Brazuka (Karine) – Catálogo de Viagens (Liliana) – Londres com Crianças (Carolina) – Londres pra Você (Tina) – No Mundo da Paula (Paula) – Sete Mil Km (Thais)

Irlanda
Ká Entre Nós (Karine)

Itália
Em Roma (Ingrid) – Guia de Roma (Patricia) – Italia per Amore (Isabela) – Milão nas Mãos (Magê) – Viva Toscana (Barbara)

Portugal 
Aqueles que Viajam (Naiara) – Cultuga (Priscila e Rafael) – Euro Dicas (Erick e Fabiane) – O Porto Encanta (Rita) – Rumo a Madrid (Juliana) – Trend Tips (Luli) - Rumo a Lisboa (Juliana)

República Tcheca
Praga Boêmia (Raquel)

Suécia
Viajar pela Europa (Gisele, Vanessa e Daniel)

Suiça
As Viagens da Rê (Renata) – Brasileiros Mundo Afora (Marisa) – Eu Ando pelo Mundo (Juliana) – Me Joguei no Mundo (Monique)

Agradeço também todos que facilitaram demais a nossa vida em Berlim:

O fotógrafo Luis Felipe Minnicelli, luisfelipeminnicelli

Siga as fotos dos 60 blogueiros nas mídias com os hashtags abaixo!
Scandic:  #scandicberlin #scandicblogger
VisitBerlin: #visit_berlin
Microsoft:  #microsoftdeutschland #thedigitaleatery
GetYourGuide:  #getyourguide #getyourguideberlin
The Circus Hostel:  #circushotel #circushostel #circusberlin #circusbeer
Panoramapunkt: #panoramapunkt
NoirBerlin:  #noirberlin #trabinoir
Holmes Place:  #holmesplace
Frau Tonis Parfüm: #frautonisparfum
Ritter Sport: #rittersport

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Igreja de Santa Maria Antiqua no Foro Romano

A palavra de ordem para iniciar este post é “palimpsesto”, no sentido que a história da arte e arqueologia italiana atribuem a este conceito. Um palimpsesto é um pergaminho que foi cancelado para que se pudesse escrever um novo testo, mas que possui resquícios das inscrições anteriores; seja por que as novas linhas foram escritas nas entrelinhas do primeiro, seja por que foram escritas na perpendicular do antigo texto (hoje em dia identificáveis com o raios ultravioletas). O conceito importante aqui são as diversas camadas que este documento possui, de períodos que se sucederam, e portanto com formas e significados diferentes.

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua


A igreja de Santa Maria Antiqua no Foro Romano foi construída na metade do VI século aos pés do Palatino, perto da Casa das Vestais. A importância da descoberta desta igreja consiste na compreensão da urbanização do Foro Romano nos primórdios da Idade Média; seu funcionamento foi abruptamente interrompido no IX século por um terremoto, que a tornou impenetrável. É igualmente de fundamental importância para a História da Arte saber que tipo de programas iconográficos adornavam as suas paredes.


Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

Esta igreja ficou “enterrada” por mil anos, até que Giacomo Boni, o grande arqueólogo que escavou boa parte do Foro Romano, encontrou-a em 1900.
Nos 300 anos em que a igreja funcionou suas paredes eram inteiramente decoradas; hoje temos 250m² de afrescos de diferentes períodos, resquícios de opus sectile do final do período imperial e um famoso palimpsesto na parede da ábside com SETE camadas que fazem com que ela seja a pérola das igrejas paleocristãs; sobretudo se pensarmos no período da iconoclastia do império bizantino.

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua


Podemos ver hoje afrescos do período de papa Martino I (649-653), Giovanni VII (705-707), papa Zaccaria (741-752), Paolo I (757-767). O oratório tinha uma decoração parietal de mosaicos, realizada pelo papa Giovanni VII, com estórias do Novo Testamento, com imagens da infância, milagres e da Paixão de Cristo e uma grande imagem de Maria “Regina” (Rainha) e o próprio papa Giovanni VII.

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

Interessante também os sarcófagos onde vemos algumas figuras de primeiras imagens cristãs, o espaço montado com objetos encontrados aqui, e até a reconstrução de um lustre antigo para podermos imaginar como era feita a ilumação do ambiente!

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

As minhas professoras de História da Arte estão frenéticas com a abertura desta igreja, pois a estudaram nos livros, fizeram prova na faculdade sem nunca terem visto ao vivo os famosos afrescos!

Excursão aconselhada para quem já viu Coliseu, Foro e Palatino e é apaixonado por História da Arte e Arte Medieval.

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua


Fontes:
Aulas com a Dtssa. Simona Lupinacci
Enciclopédia Treccani
Santa Maria Antiqua tra Roma e Bisanzio”, Andaloro M., 2016
I sarcofagi del paradiso”, Bisconti F., 2004
Site da Superintendência dos Bens Culturais de Roma: http://archeoroma.beniculturali.it/santa-maria-antiqua/?q=node/4

Igreja no Foro Romano, Santa Maria Antiqua

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Jardim das Laranjeiras

Em toda cidade que se preze tem um ponto panorâmico importante, de onde se pode apreçar a beleza da cidade a partir da perspectiva do vôo de pássaro. Roma tem sete colinas, o que já nos indica um grande número de lugares para apreciá-la; e se você pensar que cada colina tem vários puntos interessantes, acaba de descobrir que este é um dos passatempos preferidos de quem é apaixonado pela cidade: falar sobre esta ou aquela vista ou qual é a vista mais bonita, ou, em tempos de "super Lua", onde é o melhor lugar para ver a lua.

City Tour particular em Roma - Jardim das Laranjeiras

City Tour particular em Roma - Jardim das Laranjeiras

Quando você faz suas primeiras amizades romanas, o primeiro lugar que vão te levar é o Pincio (em cima da Piazza del Popolo), mas é realmente um mundo fascinante descobrir do alto esta cidade com as maravilhosas cúpolas, torres medievais e monumentos.

City Tour particular em Roma - Jardim das Laranjeiras
City Tour particular em Roma - Jardim das Laranjeiras

O Jardim das Laranjeiras, ou Parque Savello, fica no Aventino, que é uma colina "quase mítica", pois a sua ocupação se deu no que chamado "período arcaico", isto é, na noite dos tempos do período dos reis (~753 a.C. - 509 a.C.).  A denominação "Parque Savello" se refere ao antigo forte medieval da família Savelli, construído nas últimas décadas do século XIII, por sua vez erguido sobre o antigo castelo da família Crescenzi, do X século.
 
City Tour particular em Roma - Jardim das Laranjeiras


O Parque foi destinado como tal nos primeiros anos da década de '30, em consequência de novas diretrizes urbanísticas da cidade de Roma, através da qual o antigo horto ligado à Basílica de Santa Sabina tornava-se público - yu-hu!

City Tour particular em Roma - Jardim das Laranjeiras

Do alto do punto panorâmico vemos um trecho de Têvere, o Garibaldi no alto do Gianícolo, as costas do Altar da Pátria... e se preocurarmos bem, muito mais!

City Tour particular em Roma - Jardim das Laranjeiras
Endereço:
Piazza Pietro d'Illiria,
Horário de abertura:  de Outubro a Fevereiro 7.00h - 18.00h; de Março a Setembro 7.00h - 20.00h; deAbril a Agosto 7.00h - 21.00h

domingo, 30 de outubro de 2016

Selinunte: a Grécia aqui na Sicília

Tivemos hoje, de novo, um terrível terremoto na Umbria. Este post é uma homenagem simbólica ao país que amo e que já vivenciou todos os tipos de alegrias e tragédias que somente uma gama divina poderia inventar; sei que vai resistir também às novas plactas tectônicas que têm dado muito trabalho neste ano de 2016.




Selinunte é uma das áreas arqueológicas mais importantes do mundo e fica a uma boa distância para quem estiver hospedado em Trapani, Marsala ou arredores de Agrigento.


Esta região foi habitada na noite dos tempos por povos indígenas, chamados "Sicanos", depois por Fenícios (obviamente!) e gregos - segundo Tucídides -, que depois foram conquistados pelos romanos (III ´séc. a.C.). Selinunte teria sido fundada na segunda metade do VII séc. a.C. e atingido uma população de 70.000 habitantes.


Selinunte surge no topo de escolhos, a 40m sobre o nível do mar, num lugar com uma vista deslumbrante para fundar uma cidade.

As ruínas que vemos hoje são divididas em duas partes do sítio arqueológico: a colina ocidental com   a Acrópole e a colina oriental, com os templos gigantescos, chamados templos E (dedicado provavelmente à Hera) - templo F (dedicado à Atenas) - templo G (dedicado a Zeus), que foram construídos entre os anos 560 a.C. e 470 a.C.. É por estes aqui que começamos a nossa excursão.

Para agilizar o percurso, quando chegamos aqui ficamos tão emocionados que queremos chegar logo perto das enormes colunas dos templos... então estes carrinhos aceleram o percurso...


O material de construção dos templos vinha das pedreiras a Leste da cidade antiga (chamada "Cave di Cusa" ou "pedreiras de Cusa" em português) e era constituído por rocha sedimentária; aliás, a zona escolhida pelos engenheiros era exatamente onde esta rocha se demonstrava mais compacta, de modo que fosse possível extrair gigantescos blocos para a construção dos elementos que formavam os gigantescos templos . Os arqueólogos identificam uma brusca interrupção dos trabalhos da pedreira, mas até hoje não sabemos a razão.

O templo conhecido como de "Hera" era o segundo maior de Selinunte (~67 x ~25m), mas é o que chegou mais inteiro até nós. Foi construído em estilo dórico, em torno a 480 a.C e suas colunas medem 10m de altura. É um colosso construído com precisão de centímetros para as famosas correções óticas.


Na colina ocidental, temos os templos A, dedicado aos deuses Cástor e Pólux - tempolo B, pequena construção com muitos traços de policromia; aqui a estrela é o templo C, dedicado a Apolo, e D e vários altares onde eram incineradas as ofertas aos deuses.

Aqui ainda podemos percorrer uma das duas ruas principais que leva à gigantesca muralha do V século a.C. com as torres.


Visitar Selinunte é chegar mais perto das nossas próprias raízes e poder nos maravilhar mais uma vez com a tecnologia e engenharia gregas de uma cidade planejada onde é verifica-se mais uma vez a capacidade do Homem em estudar e modelar a Natureza para viver e honrar seus deuses.

Inesquecível.

Endereço: Via Selinunte
Província : Trapani
Tel. : 092446277
Horário de ingresso : Abertura às 9h. Fecho: do dia 1° de Outubro às 17h (saída até às 19h); de 28.10 às  16h  (saída até às 19h).
Ticket inteiro: € 6
Ticket reduzido: € 3

Mais sobre a Sicília: SiracusaCatânia, Trapani PalermoGinostra (ilhas Eólias) e Culinária na Sicília, uma introdução básica

domingo, 23 de outubro de 2016

Galleria Borghese com guia em português


Do mesmo jeito que um simples crucifixo é mais do que simplesmente dois segmentos de linhas intersectadas, e possuem uma complexidade incrível de significados, todas as obras de arte podem ser compreendidas no momento em que são contextualizadas e a sua guia em português funciona como uma ponte entre você e a obra de arte, explicando o momento histórico no qual ela foi realizada, razão da criação e iconografia.

Galleria Borghese Tour Personalizado

Jardim Secreto da Galleria Borghese - tour personalizado

Por que uma guia em português - No momento em que leva-se em consideração (pelo menos!) o momento histórico, o comitente e o artista de uma obra de arte... eventualmente considera-se também os personagens e objetos e plantas representados (muitas vezes ligados à cultura romana) pode-se dizer ter "visto" uma determinada obra de arte e ir além, estabelecendo um vínculo pessoal com os trabalhos artísticos de uma galeria ou museu.

Apolo e Dafne, Bernini, Galleria Borghese, Roma

O grupo escultóreo "Apolo de Dafne" é o trabalho que demonstra a maturidade artística de Bernini, que trabalha pela primeira vez sem fazer citações aos grandes maestros renascentistas, colocando-se em concorrência com o próprio mito! Interessante acompanhar vários períodos do grande maestro na Galleria Borghese, entendendo e observando com atenção o seu modo de tratar a superfície do mármore.

Galleria Borghese com guia em português

A Galleria Borghese de Roma, como tudo em Roma, não é um museu normal, pois não foi planejado para sê-lo. Trata-se da mansão do campo renascentista da família Borghese; a excepcional  coleção que temos hoje no seu interior é fruto da paixão pela arte do cardeal Scipione Borghese, coleção esta iniciada em 1600 e que contém obras-primas da antiguidade, Renascimento e Barroco, com grande destaque para Bernini e Caravaggio. Quem se prepara para vir a este grande antro da arte ocidental sabe que aqui também vai encontrar Canova, Parmigianino, Raffaello, Giorgione, Rubens, Pinturicchio e Correggio...

Galleria Borghese com guia em português
Di Michelangelo Merisi da Caravaggio - Opera propria, Lafit86, Pubblico dominio, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=10250309

Seguem alguns dos trabalhos mais "famosos" que moram neste importantíssimo museu:

A enorme tela de Caravaggio de quase 3m de altura, com o tema da Virgem dei Palafrenieri (1606), pintada no final da curta vida do grande gênio tem como tema o menino Jesus que destrói a serpente do pecado original com a ajuda da Virgem, ambos observados pela Santa Ana (que aqui representaria a graça na redenção).

Galleria Borghese com guia em português
 Tiziano: Amor sacro y amor profano 1515-1516. 118 x 279. Oleo sobre lienzo. Galleria Borghese, Roma. cv.uoc.edu, Pubblico dominio, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=15588281

Amor Sacro e Amor Profano (1515) de um Tiziano com apenas 25 anos, mas já maduro para revolucionar a história da pintura; inicialmente uma comissão do vêneto Niccolò Aurelio para a sua futura esposa, o pintor foi pedido para expressar as duas formas de amor: "sagrado e profano". A genialiade deste pintor logo ultrapassa a esfera privada da simples comissão para atingir uma linguagem universal através dos personagens representados e da sua paleta de tons tipicamente vêneta, que deu origem ao nome "vermelho tiziano".

Galleria Borghese com guia em português

 O incrível Daví (1623-24) do Bernini, que trabalha o mármore como se fosse matéria macia, pode ser um auto-retrato enquanto enfrenta a real dureza do seu material de trabalho, segundos antes de enfrentar o gigante Golias.

Galleria Borghese com guia em português
Di Alvesgaspar - Opera propria, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=43569142

Galleria Borghese com guia em português
A figura típica de beleza helenística nos atrai e absorve completamente: maravilha das maravilhas a famosa escultura em mármore do filho de Hermes e Afrodite, o "Hemafrodita adormentado" (cópia romana do II séc. d.C.), representa um corpo quase inteiro feminino, numa torsão horizontal, em um sono de uma sensualidade única. A parte frontal da escultura tem o sexo masculino.

Paolina Borghese, obraprima do escultor vêneto Antonio Canova
Paolina Borghese Vênus Vencedora (1805-08), de Antonio Canova
 Foto: Di Antonio Canova - Trasferito da de.wikipedia su Commons.; originally from: Alfred Gotthold Meyer, Canova, Bielefeld & Leipzig, 1898, p. 49; sconosciuto, uploader was Katanga at de.wikipedia, Pubblico dominio, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=17193242


O último grande escultor do Vaticano era vêneto e se chamava Antonio Canova (1757-1822). Além de ter  sido o artista oficial do Napoleão (entre 1802-10), foi encarregado pelo papa Pio VII da delicada tarefa de recuperar as obras roubadas pelos franceses durante a ocupação napoleônica.
Na sua obraprima "Paolina Bonaparte Borghese" - símbolo da célebre Galleria Borghese de Roma - , como Vênus Vencedora (retrato da irmã de Napoleão), podemos observar uma sua obra típica, considerada por alguns como "fria e acadêmica", além de muito ligada a um programa cultural "óbvio demais";  mas é inegável a perfeição da representação e a elegância dos gestos atribuidos ao personagem retratado.

Quem sabe ao final do tour você vai poder tirar as suas próprias conclusões sobre as diferenças entre o Daví do Michelangelo e o Daví do Bernini!

Galleria Borghese com guia em português

O jardim da famosa villa é parte do nosso tour pois foi concebido ao mesmo tempo em que a mansão da nobre família, com seu jardim secreto, o bosque de caça e os jardins ingleses e exóticos. Hoje é uma maravilhosa área verde onde romanos adoram passear, andar de bicicleta, namorar e ver a sua cidade do alto.

Endereço: P.zzale del Museo Borghese
Horário de abertura: De 3a à domingo, das 8.30h às 19.30
Reservas obrigatórias: 06 32810
Site oficial: www.galleriaborghese.it/
Custo da entrada: de €15 a €20.


Para reservar, por favor preencha os dados da sua viagem à Roma no nosso formulário de contato para facilitar a comunicação ou mande um email diretamente para mim: patcarmobaltazar [AT] gmail.com!