quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Circo Máximo

Reconstrução do Circo Máximo pelo professor Bernie Fischer
Reconstrução do Circo Máximo pelo grande Prof Bernie Frischer

O Circo Massimo é um antigo circo romano, onde aconteciam corridas de cavalos.
Está localizado num vale entre as Colinas Palatino e Aventino.
Dada à sua superfície plana, muito provavelmente este espaço serviu como lugar para o antigo mercado onde gregos e etruscos comerciavam.

Acredita-se que as primeiras arquibancadas foram construídas pelo rei Tarquinio Prisco, no VI séc a.C.. As estruturas eram feitas naquele tempo em madeira e eram móveis. No I séc a.C. Júlio César investiu muito no Circo Máximo, construindo estruturas fixas com tijolos e cal que deram a aparência que chegou até nós. O circo media 621m de cumprimento e 118m de largura, com capacidade para 250.000 espectadores.

Circo Máximo com ao fundo a Torre medieval

A corrida de bigas (superfície com rodas puxada por dois ou mais cavalos, "quadrigas") era uma das competições esportivas mais populares do mundo antigo grego e romano. Este esporte era muito perigoso seja para os cavaleiros que para os cavalos, que corriam o risco de graves acidentes ou até mesmo de morte!

Os espectadores amavam muito este espetáculo, que assistiam fervorosos; era qualquer coisa muito parecida com uma corrida de motos ou de fórmula 1 de hoje em dia. Até mesmo a organização da corrida de bigas tinha algumas semelhanças com as nossas corridas de hoje: o modelo romano contava com várias equipes, cada um com seus patrocinadores e lutavam para possuir o melhor cavaleiro no próprio time. O objetivo era dar 7 voltas (mais tarde 5) ao redor da pista. Bater nos carros adversários para distraí-los era proibido, mas acontecia.
Naturalmente, os espectadores torciam cada um para o seu time, apaixonadamente, e às vezes dava briga entre as torcidas (soa familiar?!).

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Se gostarem de arqueologia, não percam o nosso passeio com guia à Óstia Antiga http://guiaderoma.blogspot.it/2013/12/ostia-antica.html!!! 
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A potência que os jogos exerciam nas multidões foi notada pelos governantes e foi manipulada politicamente, ampliando o significado meramente desportivo inicial do evento. Os imperadores procuravam controlar o evento e existia uma casta de empregados públicos que seguia ferreamente as vicissitudes das corridas.

Reconstrução do Circo Máximo pelo Prof Bernie Frischer
Dimensões importantes do Circo Massimo na Roma Antiga, 3D do Prof Bernie Frischer

Não sabemos exatamente quando o Homem iniciou a competir sobre os cavalos; supõe-se que a corrida pode ser tão velha quando a invenção da própria biga. Testemunhas iconográficas em formas de afrescos nos informam que este esporte já era praticado na época micênica (Idade do Bronze no Mar Egeu, em torno a 1600 a.C. e 1050 a.C.).

O primeiro episódio escrito de uma corrida de bigas foi realizado por Homero (928 a.C. - 898 a.C.). Ele nos conta no XXIIIº da Ilíada a realização de uma corrida durante a comemoração do funeral de Patroclo: foram cinco os partecipantes, que tinham que ir até uma árvore, dar a volta e retornar. O vencedor, Diomedes, ganhou e o prêmio foi uma escrava e um caldeirão cheio de bronze.
Uma lenda diz que esse evento deu origem aos Jogos Olímpicos.

Circo Máximo hoje, com os palácios imperiais do Palatino ao fundo

O momento mais emocionante da corrida eram as curvas, onde aconteciam a grande maioria dos acidentes, muitas vezes mortais.

Os cavaleiros eram escravos, que em caso de vitória, ganhavam uma coroa de louros e dinheiro; eventualmente o escravo que ganhasse muito dinheiro podia comprar a própria liberdade.
A fama deles podia se espalhar pelo Império, como aconteceu com o famoso Scorpo, que venceu mais de duas mil corridas, para depois morrer aos 27 anos em uma curva (meta).

O palácio do Imperador ficava no alto do monte Palatino (onde vemos hoje ruínas quando estamos bem no meio do Circo Máximo) e os imperadores frequentavam as corridas para serem vistos pela população, que tinha acesso grátis às competições.

A área verde que sobrou na frente dos palácios imperiais e 
que corresponde ao espaço antigamente ocupado 
pelo Circo Máximo

Júlio César frequentava o Circo para ser visto pela população, dado que no período imperial o povo quase não via mais o seu chefe de estado, como no período republicano. Diz-se que César  aparentemente não gostava das corridas e levava sempre um livro consigo para ler durante a competição!

O mesmo não podemos dizer do Imperador Nero, que era apaixonado pelo esporte e tinha até vencido  os Jogos Olímpicos competindo como cavaleiro!

Dopo a queda do Império Romano do Ocidente, a popularidade das corridas caiu muito e logo depois o mesmo aconteceu no Império Bizantino.

Além do Circo Máximo, em Roma tinha o Circo de Maxêncio (na linda Via Appia) e outros espalhados pelo Império: Milão, a Alessandria, Antioquia, e Terragona.
Heródoto, o Grande, mandou construir quatro grandes circos na Judéia.

Hoje em dia o antigo circo é um lugar onde acontecem manifestações e concertos - o último grande concerto foi dos Rolling Stones em 22 de Junho de 2014.
(update da página em Agosto 2014)

3 comentários:

  1. Ola Patricia..these are beautyful words!!I live here for now 14 Years and i hate this City, as i love her.! It's dirty, crowdy, the Service is pessimo, but than i turn around and find a surprising corner,take a bus home through the Forum, find a unknown tiny church flooded with sunlight or have a nice chatt with my neibourghs..all that makes me wish to be a tourist again !Saluti christina

    ResponderExcluir
  2. Oi Patrícia, tudo bem?
    Estou querendo contratar um guia que fale português para fazer um dia de passeio com 4 pessoas. Gostaria que você me indicasse algum ou algum site.
    Obrigada e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  3. Oi Luciana. Me escreva por favor aqui: patcarmobaltazar@gmail.com e vejamos se podemos agendar um passeio! Obrigada! Patricia

    ResponderExcluir