domingo, 27 de abril de 2014

Guia de Siena em português

Rodeada por colinas cobertas de oliveiras e vinhas, situada em uma área de grande beleza e charme, Siena é uma das cidades mais bonitas da Toscana e uma das mais visitadas em todo o território italiano. É universalmente conhecida pelo seu património artístico e pelo famoso “Palio”, a corrida de cavalos. A beleza do seu centro histórico foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO em 1995.

O percurso proposto por nós abrange a Basílica de São Domingo, onde fica a relíquia de Santa Catarina; vamos passear nas ruas medievais e ver a praça da sede do Banco mais antigo da Europa; o interior da inesquecível Catedral, a Praça do Campo (considerada umas das praças mais bonitas da nossa terra), onde desvendaremos os segredos do Palio, a famosa corrida de cavalos que acontece todos os anos em Siena. 

Para reservas, escreva um email para patcarmobaltazar@gmail.com.

Piazza del Campo, foto de Giorgos Vintzileos

A cidade é cortada por grande avenidas e ruas estreitas que levam à praça “del Campo”, um dos símbolos da cidade com seus prédios de grande atração cultural: o Duomo e o Hospital Santa Maria della Scala.


Siena vista de Montechiaro, foto de Antonio Cinotti

Segundo a lenda, Siena foi fundada por Senio e Aschio ao fim de um longo, mitológico "Palio". Os cavalos de cada competidor eram um branco e outro preto, que se transformaram nas cores do brasão de Siena e são o símbolo do caráter da cidade. A História, por outro lado, nos fala de uma aldeia de origem etrusca, que sucessivamente se tornou um forte romano importante na fronteira, criada no tempo do imperador Augusto com o nome de Saena Julia.

Torre del Mangia e Piazza del Campo, vistas de cima, foto de Phillip Capper

Em torno dos séculos X e XI Siena se encontrou localizada no centro de importantes rotas comerciais, graças ao poder do bispo na época do Império Carolíngio; naquele tempo Siena expandiu seu território e consolidou as suas primeiras alianças, tornando-se uma importante cidade medieval, do ponto de vista político e econômico.

Simbologia única no interior da Catedral de Siena, foto de Giorgos Vintzileos

Sonho gótico senese: o maravilhoso interior do Duomo de Siena, foto de Ho Visto Nina Volare

Depois de uma guerra memorável, teve fim a sua "idade do ouro". Siena perdeu a sua independência para os poderosos Medici, donos do mundo naqueles anos, e para Carlos V (1559): a república de Siena foi forçada a entregar seus bens e adquiriu o papel secundário de uma pequena cidade toscana, sob o domínio da rival e odiada Florença, capital do Grão-Ducado da Toscana.

Fachada da Catedral de Siena, foto de Carol Munro



É hoje é uma das cidades com a mais alta qualidade de vida na Itália. A arte é o que mais a caracteriza, tornando-se uma das cidades mais turísticas visitadas no mundo: Piazza del Campo, o Duomo, Palazzo Municipal e a Torre del Mangia são apenas algumas das suas maravilhas!

A Piazza del Campo é um dos mais belos exemplos de arquitetura civil; idealmente é o ponto de encontro dos três montes sobre os quais surgiu a cidade. Ela foi originalmente um grande gramado, por isso o nome "campo": tem uma forma semicircular, como uma concha. A praça representa o coração da cidade, foi o lugar da feira e palco de momentos políticos importantes.


O Duomo de Siena foi construído no século XII. A simbologia representada na sua fachada é extremamente curiosa, pois tenta conciliar as filosofias do oriente com o ocidente, judia, cristã e naturalmente não falta a iconografia pagã.

Os mosaicos do pavimento representam também uma das maiores riquezas de toda a Itália; foram realizados no longo percurso de 6 séculos e  contam 60 histórias cujo significado foram estudadas somente em 1977. Uma das hipóteses, é que o fio condutor destas preciosas imagens seja a redenção da alma.

Siena - Estacionar
Os sinais para os estacionamentos são claros. Estacionar fora dos muros é grátis, dentro dos muros é difícil de encontrar estacionamento. Siga as placas para o centro e tente encontrar um lugar para parar o carro na Piazza Gramsci ou no triângulo de La Lizza (mas não às quartas-feiras, por que é interditado para a feira). Se quiser deixar o carro num estacionamento, tente o San Domenico perto do estádio.

As tarifas estão em torno a € 2,00/h. Atenção às 4as feiras, que por ser o dia da feira, a cidade fica mais cheia e Piazza Gramsci fica interditada.

Siena - Onde comer? 
Sugestão da nossa guia local: Compagnia dei Vinattieri Via delle Terme, 79, 53100 Siena - tel.: 0577 236568. 
Aconselha-se sempre reservar, sobretudo em alta estação e nos fins-de-semana.

Como toda cidade italiana, é aconselhável fazer um passeio com uma guia local, que dê as coordenadas básicas para que a sua visita fique completa. Para uma guia que fale português em Siena, escreva um email para mim!

Para um roteiro que te ajude a economizar tempo na Toscana, escreva um email para patcarmobaltazar@gmail.com.

Para uma guia que fale português em Firenze, Lucca ou Pisa, escreva um email para patcarmobaltazar@gmail.com.

Outras cidades da Toscana:
Firenze: http://guiaderoma.blogspot.it/2012/10/centro-historico-de-firenze.html
Volterra: http://guiaderoma.blogspot.it/2014/04/volterra.html
San Gimignano: http://guiaderoma.blogspot.it/2014/05/san-gimignano.html

sábado, 19 de abril de 2014

Sorveteria na Via Aurelia

Aqui vai uma ótima dica de sorvete maravilhoso artesanal na Via Aurelia.
Tenho visto que muitos brasileiros ficam no Hotel Ergife ou no Hotel Aureliano (o primeiro é uma estrutura enorme, que recebe muita gente que vem pela Europamundo).



Quem for pegar o metrô A Cornelia para ir ao centro, pode parar para um inesquecível sorvete na sorveteria artesanal pluripremiada Settimo Gelo na Via Aurelia, 452 - é isso mesmo, tem um sorvete fantástico fora do centro! A sorveteria fecha às 2as feiras.



Invenção da gourmet Mirella Fiumanò, os ingredientes super-exclusivos deste maravilhoso sorvete são italianos e de agricultura biológica - isso faz toda a diferença do produto final!
O chocolate é venezuelano, da famosa zona de produção de cacau "Sur del Lago".



Os sabores vão dos clássicos aos mais originais, como romã, castanha ou sorbet de chocolate.

Mas não deixem de experimentar a especialidade da casa: o "Gelato Iraniano", feito com água de rosas, pistache, amêndoas e alçafrão (olha que receita mais original!), ou o "Crema al Bergamotto" (uma fruta cítrica típica da região da Calábria, ou o sabor Flor de Hibisco.

Eu tenho a sorte de morar pertinho e passo sempre que posso, para me recarregar de energia saudável!

#ficaadica

Horário de abertura da sorveteria no verão:
Via Aurelia, 452, 00195 Roma
De Terça a Domingo, das 10.00 às 23.00

terça-feira, 8 de abril de 2014

O mercado das pulgas de Roma: Porta Portese

O mercado das pulgas de Roma "Porta Portese" acontece todos os Domingos e você encontra um pouco de tudo aqui, a preços bem baixos.

Segue um pequeno mapa para orientação, com algumas dicas de onde passo, depois de anos de frequentação e pesquisas. Quem tem paciência de procurar, muito provavelmente vai achar, como eu, que compro camisas e calças de linho usadas, por no máximo 5 euros - chego em casa, lavo e desinfeto tudo, fica novo!
Vincenzo com seus produtos genuínos da Calábria

Segue o percurso que gosto de fazer, com a minha pausa que já posso chamar de tradicional, no stand dos produtos calabreses que adoro: para quem come queijo e salame, vem tudo da produção pessoal do Senhor Vincenzo.

Eu adoro comprar os biscoitos salgados "taralucci" para comer com o molho de apertitivo que ele faz (super picante!!!); mas ele tem também mil outras coisas, todas boas!  Uma vez ele me deu um tomate (que ele tinha trazido para fazer um sanduíche para ele mesmo), que era tão bom, mas tão bom, que guardei as sementes para secá-las e plantar na minha horta.


Aí vai o meu mapinha, com algumas produtos que se encontram pelo caminho:


Eu entro normalmente pelo portão de Porta Portese; tem muita gente que prefere entrar por Viale Trastevere, parada do bonde "Praça Ippolito Nievo".

Bom, seguindo pela minha entrada você encontra à direita (dx) e à esquerda (sx):

- (dx) (sx) roupas usadas por € 1 - € 3 - 5; sapatos novos de couro - eu diria que nesta linha reta vão ter uns 3 stands com sapatos.
- (dx) bolsas de couro e jeans


- (dx) artesanato, bijuterias, pulseirinhas de couro
- (dx) óculos, chapéus, eletrônicos, lanternas de led (!)
- (sx) mais roupas usadas, às vezes coisas ótimas de linho puro!
- (dx) livros infantis (sx) lenços

A rua bifurca e á direita tem uma pequena subida: é o paraíso das bicicletas e acessórios por ótimos preços!

Continuando pela rua principal, embaixo:

- (dx) contas para fazer bijuterias
- altura do número 36 (dx) - Produtos calabreses do Vincenzo:

As amigas com o Vincenzo

- (dx) e (sx), seguimos com roupas para crianças, utensílios mil para a cozinha, roupas (e muitos stands com roupas novas também!)

Aqui viro à direita em direção à Via Ippolito Nievo, onde continuam ofertas de roupas (novas e usadas), objetos para a casa, móveis antigos restaurados.

Quando chego na próxima bifurcação, vou de novo à direira, pela Via Napoleone Parboni, onde temos mil tranqueiras, e um cara à direita, metade da rua, que diz vender objetos de culturas da Oceania, tranqueiras eletrônicas e chinesas.

Aí viro à esquerda na Angelo Bargone, que tem ótimos livros usados de Arte, Arquitetura e História da Arte, cds, dvds (mais ou menos por todo o caminho!),  pratarias e artigos de papelaria antigos e máquinas fotográficas - não sei em quais condições.

Depois disso tenho sempre muita sede e fome - o negócio é voltar pra casa para almoçar, começando pelas delícias calabresas como aperitivo!!!

Bom passeio!