quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

A Basílica de São Clemente

Perto do Coliseu, seguindo pela rua Labicana, encontramos um dois maiores tesouros que Roma possui: a Basílica de São Clemente.

Nave central com pavimento cosmatesco, afresco do Chiari com a Glória de São Clemente e mosaico absidal
Nave central da Basílica de São Clemente

A igreja foi construída sobre uma domus (domus ecclesia, onde os cristãos se encontravam para orar até o ano de 313). Acredita-se que seja a própria casa do Papa São Clemente, o quarto papa da Igreja Católica, no período de 92 a 97, mártire durante o império de Domiciano.

A igreja esconde dois andares de subterrâneos fantásticos, o primeiro do IV século, a chamada Basílica Antiga ou Basílica Inferior e mais embaixo ainda, existe um Mitreu e parte dos armazéns do período de Nero.

Esta contrução é um dos melhores exemplos das diversas camadas sobre as quais a cidade de Roma foi construída e chegou até nós - em outras palavras, para entender o "tamanho da encrenca" que é Roma, a visita à essa basílica é fundamental.

A Basílica Superior é a que vemos hoje, quando entramos e foi construída no final do XI século, logo depois o incêndio de 1084 dos normanos. Atrás da "maquiagem" do final do barroco, ainda podemos ver a estrutura românica do século XII no pátio da entrada.

O seu interior possui 3 naves divididas por 16 colunas de antigos monumentos, alternadas entre lisas e com canaluras, ábside com mosaico. O pavimento é cosmatesco.

Colunas com canaluras e pavimento cosmatesco
Basílica de São Clemente, com suas colunas lisas e com caneluras

O maravilhoso mosaico  tem o tema do "Triunfo da Cruz", e é considerado um dos mais refinados da escola romana da primeira metade do século XII.

À esquerda do crucifixo temos Maria, à direita, o apóstolo João.

Mosaico da ábside
Mosaico da ábside de São Clemente

Neste mosaico vemos o crucifixo decorado com doze pombas brancas, que representam os apóstolos. O crucifixo está apoiado numa planta, um acanto, que irrigada pelo sange de Cristo faz com que cresçam ramos que se desenvolvem em espirais e abrangem cenas de vida quotidiana.

Detalhe do mosaico da ábside
Mosaico da ábside de São Clemente, detalhe vida quotidiana

Bem embaixo, à direita e à esquerda vemos duas figuras grande de dois cervos, que matam a sede no rio. Essa imagem pode ser uma representação do Salmo 42:1 "Assim como o cervo brama pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti, ó Deus!". Olhem como esses animais foram maravilhosamente representados na difícil técnica do mosaico, na sua tridimensionalidade e vivacidade:


Detalhe do mosaico da ábside
Mosaico da ábside de São Clemente, detalhe da representação do cervo.

Embaixo da complexa representação do crucifixo e do acanto, temos as doze ovelhas de Cristo, com no centro o Agnus Dei.
Abaixo do mosaico, temos um afresco do século XIV que representa a Virgem e os apóstolos.


Ábside de São Clemente,
Ábside de São Clemente, detalhe do afresco embaixo do mosaico

Nave esquerda:
Uma outra maravilha desta basílica é a Capela de Santa Catarina, realizado em ~1428-1431 pelo grande Masolino da Panicale e com eventual ajuda do também grande Masaccio (que eu AMO!).

Ciclo de afrescos de Santa Catarina, de Masolino da Panicale
Capela de Santa Catarina, Basílica de São Clemente

Nesta capela foi representado o ciclo da vida da Santa Catarina de Alexandria, um crucifixo, os apóstolos e na parede à direita eventos relativos à vida de Santo Ambrósio.

Na nave da direita:
Temos na Capela de São Domingos alguns afrescos de com cenas da vida do santo, atribuídos ao Sebastiano Conca (1680-1674).

Logo vemos uma pequena loja, onde pode-se comprar guias, cartões postais e outras coisas, além de ser o acesso aos andares inferiores.

Basílica Inferior é acessível através de uma  escada que é acompanhada por diversos fragmentos na parede em mármore e cópias em gesso, peças que foram encontradas nas excavações da basílica e do mitreu.

Basílica Inferior de São Clemente
A impressionante entrada da basílica inferior de São Clemente

No nártex (parte anterior à entrada da basílica), temos um afresco doo IX° século com o "Cristo bendito e santos", que está quase desaparecendo!

Neste "andar" , infelizmente somente alguns fragmentos de afrescos chegaram até nós. O mais importante deles, é o famoso ciclo de São Sisino.

Afrescos de Santo Alessio
Vida de Santo Aleixo, Basílica Inferior de São Clemente, foto Wikipedia

A dificuldade em nos orientar aqui embaixo, é um resultado da construção da Basílica Superior, onde os espaços entre as colunas foram preenchidos com tijolos, de modo que pudesse sustentar o peso da nova basílica! Com um pouco de imaginação, conseguimos "intuir" o espaço amplo das três naves, da antiga ábside e do seu cibório, 29m de largura.

Confesso que fico orgulhosa da manutenção desta igreja /área arqueológica, pois é muito bem iluminado, o que faz com que a visita seja agradável, pois quem sofre de claustrofobia nunca pode se sentir bem em um espaço subterrâneo e sem janelas - isso é mais um incentivo para visitá-la!

Descemos no andar mais antigo, do tempo do Imperador Nero, onde vemos parte dos armazéns e do antigo Mitreu. Essa parte já é mais precária do ponto de vista da conservação, mas vale a pena visitá-la! Sugiro imaginar afrescos nas paredes e bancos esculpidos perfeitamente, pois durante o seu funcionamento, o Mitreu era seguramente um lugar de culto muito bem decorado!

Não podemos entrar no antigo Mitreu, mas vemos através da grade os bancos laterais, reservados ao banquete ritual da religião, e no centro um altar com a representação de Mitra.

O mitreu de São Clemente
O Mitreu de São Clemente, foto de Wikipedia

Naturalmente esta pequena introdução não é suficiente para entender na sua totalidade as várias fases desta maravilhosa construção; tentamos somente dar algumas indicações de modo que se entenda a complexidade que espera voce em Roma, suas construções, religiões e símbolos!
Para uma visita completa com guia em português, por favor mande os detalhes da sua viagem através da página http://www.guiabrasileiraemroma.com.br/#!contato/c1lmm

Horário de abertura da Basílica de São Clemente
Dias úteis: 9.00-12.30 / 15.00-18.00  
Domingos e feriados das 12.00 às 18.00
Entrada: €10

Endereço: Via Labicana, 45
Site oficial da igreja: www.basilicasanclemente.com

Reserve seu tour personalizado com guia privativa que fala português o quanto antes! Email para patcarmobaltazar arroba gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário