quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Sovana: Cidadezinha da Toscana

Talvez eu seja suspeita para falar, mas para mim a Itália é o país mais lindo do mundo.

Em qualquer cidade que você sair por aí pelos arredores, vai descobrir tesouros inestimáveis e não vai parar nunca de ser surpreendido. E vai ter o vinho maravilhoso da zona, e as comidas típicas.
Isso é o que eu tenho feito desde 1998, quando cheguei aqui.

Hoje vou mostrar meu passeio em uma cidadezinha tão pequena, pensa, só tem 460 habitantes - e como vale a pena chegar aqui, é apaixonante!

Praça central de Sovana
A praça central de Sovana, na Toscana

Estamos na Toscana, solo etrusco, numa zona que foi conquistada pelos romanos no ano de 280 a.C. e a partir desta data sofreu o que os historiadores chamam de processo de romanização.

Em torno ao ano 1000, a poderosa família Aldobrandeschi, que possuía vários feudos na zona da Maremma e do Monte Amiata, mandou contruir um castelo, ao redor do qual formou-se um pequeno burgo. Sovana foi parar nos livro de História, pois aqui nasceu o famoso papa Gregório VII, que deu início às Guerras de investiduras contra Henrique IV, no ano de 1075.

Ruazinha de Sovana
A caminho da Catedral de Sovana, passamos pela rua cheia de flores 
e pela casa que pertenceu ao papa Gregório VII

A visita à Catedral dos Santos Pedro e Paulo, contruída sobre uma estrutura do século VI entre os séculos IX e XI e depois finalizada  Gregório VII, vai ficar para sempre na sua memória! A fachada foi restruturada no século XIV, mas a maior parte do edifício é do século XI.

Chegamos pela rua da praça principal na parte de trás da catedral - num dia de sol muito forte de Setembro!

parte posterior da Catedral de Sovana]

Antes da entrada, passamos por este portão lateral que fica fechado e que já me causou quase uma parada cardíaca de tanta beleza!

Maravilhoso portão lateral com decoração românica
O portão lateral maravilhoso da catedral de Sovana

Lunetta do portão lateral da Catedral de Sovana
E aqui um detalhe do portão, com os leões 
que tinham como função "proteger" a catedral

Closeup da decoração românica da Catedral de Sovana
Aqui outro detalhe com a singela representação 
da ascenção ao céu de uma alma 

O interior da catedral é dividido em três naves com colunas bicolores.

Nave central com as maravilhosas colunas bicolores
Nave central com closeup de nervuras da coluna 

Interessante as decorações dos capitéis, típicas da escola lombarda do XI século, com representações da bíblia (Glória da Virgem Maria com São Bento e São João e Gualberto, do século XVI) e a pia batismal.

Pia batismal da Catedral de Sovana
Pia batismal da Catedral de Sovana

Nave central  da Catedral de Sovana
Christina, companheira de todas as aventuras,
 completamente tocada por tanta beleza. 

Esta catedral contém os espólios de San Memiliano, um bispo de Palermo da segunda metade do século V.

Acredita-se que a catedral foi contruída sobre a acrópole etrusca.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Artemisia Gentileschi - os pintores caravaggescos

Depois de ter lido sobre a vida "pacata" de Caravaggio, podemos imaginar que ele não teve alunos, como muitos outros pintores que tinham um estúdio e muitas encomendas estatais. O que aconteceu é que a linguagem que ele acabava de inventar era tão forte, que muitos pintores acabaram por encorporá-lo no seu trabalho.

Orazio Gentileschi, visita guiada em português em Roma
Orazio Gentileschi, "Judith com a criada", 1611 - Pinacoteca Vaticana

Os pintores denominados caravaggescos são pintores do período barroco de diversas nacionalidades e aqui cito alguns nomes de alguns que gosto muito: Orazio Gentileschi, Andrea Vaccaro (que tem uma tela na coleção de "Barroco Italiano" do Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro e que é um senhor museu!), Niccolò Musso, Antoon Van Dyck, Francesco Rustici, Orazio Borgianni, Orazio Riminaldi, Pietro Paolini, Salimbeni, e Guy François.

Nicolò Musso, pintor caravaggesco, visita guiada com guia em portugues em Roma
Nicolò Musso, Calvário, ~1618 - Galleria Sabauda de Torino

Em Roma, muitas obras destes pintores podem ser encontradas na Galleria Nazionale d'Arte Antica, Galleria Borghese, Pinacoteca Vaticana e na Galleria Corsini de Trastevere

Na lista acima falta uma... isto mesmo, uma pintora cavaraggesca que realizou obras incríveis: Artemisia Gentileschi. Você pode imaginar uma moça, pintora de sucesso em pleno século XVII na super-competitiva Roma dos papas?

A famosa Judite, de Artemisia Gentileschi, tours em português em Roma
Artemisia Gentileschi, "Judite decapita Holofernes", 1620 - Uffizi

Artemisia (1593 – 1653) era filha de Orazio Gentileschi e foi modelo e aluna do pai. Teve uma vida muito difícil, pois com apenas 18 anos foi estuprada por uma pintor que era sócio do pai dela!

Auto-retrato de Artemisia Gentileschi, visita guiada com guia em português
Autorretrato de Artemisia Gentileschi 
óleo sobre tela, 98,6 x 75,2cm, 1638-39, Kensington Palace, Londres

Deopis desta experiência terrível foi defendida por seu pai, mas o escândalo defamou a jovem artista, que teve que deixar Roma e logo depois casou com um jovem pintor florentino e foi morar em Florença. No meio desta desgraça, a parte boa é que Artemisia pôde iniciar oficialmente seu estudo de pintura na Accademia delle arti del disegno, a escola de belas artes mais antiga do mundo, fundada em 1563. E ela foi a primeira mulher a poder estudar nesta escola!

Já em 1614 Artemisia teve a sua primeira comissão para a potente família Medici, um retrato da Santa Catarina de Alexandria que hoje pode ser visto no Uffizi. A artista também partecipou entre 1615-16 da decoração da Casa Buonarroti com uma imagem para o teto da galeria das pinturas - uma Alegoria do Talento.

Artemisia voltou à Roma em 1621, naquela época uma cidadezinha que era menos da metade das grandes Florença e Nápoles. Roma não reconheceu o talento da sua talentosa filha e a nossa super-estrela não recebeu nenhuma comissão para a recém-inaugurada Basílica de São Pedro.

Artemisia Gentileschi, pintura em Nápoles, visita guiada com guia em português em Nápoles
Artemisia Gentileschi, "Martírio de São Genaro", Duomo di Pozzuoli, Nápoles

Artemisia passou três anos em Veneza, onde teve algum sucesso, mas a cidade que reconheceu mesmo o talento desta estrela foi a grande metrópole Nápoles, onde existem vários trabalhos de Artemisia!
No meio-tempo papai Orazio Gentileschi trabalhava na corte de Carlos I em Londres, onde Artemisia realizou alguns trabalhos en passant junto com ele, na Marlborough House.

Obrigada, Pierre Dumonstier le Neveu, por ter feito em 1625 um maravilhoso desenho da mão de Artemisia Gentileschi segurando um pincel, que hoje está no British Museum.

Desenho de Pierre Dumonstier da mão de Artemisia Gentileschi com pincel, tours em português em Rom
"Mão direita de Artemisia Gentileschi com pincel", 
Pierre Dumonstier le Neveu, 1625 - British Museum

Artemisia morreu em Nápoles em 1653 e foi enterrada no cemitério de São João dos Florentinos - a sua lápide onde estava escrito simplesmente "Heic Artemisia" desapareceu há algumas centenas de anos...

Judite com a criada, Artemisia Gentileschi, city tours em português em Roma
Artemisia Gentileschi, "Judite com a criada",  ~1618,
óleo sobre tela, 114×93,5 cm, Palazzo Pitti, Florença

Adoro tudo o que ela pintou e tenho uma preferência pela "Judite" (aquela que está nos Uffizi)  mais do que todas as outras versões deste tema. Acho a composição dos personagens que formam um triângulo com a ponta para baixo incrível, o jogo dos braços dos três, a expressão certeira e consciente da Judite e da sua cúmplice ... para não falar na fantástica e exímia representação dos tecidos das roupas e sobre o qual está deitado o Holofernes. Cuidado, pois o sangue espirra em todas as direções!

Se quiser saber tudo sobre os pintores caravaggescos reserve já o seu tour "Caravaggio e os pintores caravaggescos"!
Se quiser fazer o tour "Artemisia Gentileschi em Nápoles", fale com a gente!


Reserve seu tour personalizado com guia privativa que fala português o quanto antes! Email para patcarmobaltazar arroba gmail.com

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Abadia de Farfa

"Ora et Labora"
lema beneditino

A apenas uma hora ao nordeste de Roma, envolvida por uma profunda atmosfera mística, encontramos a famosa Abadia de Farfa, um monastério de monges beneditinos fundado no longínquo século VI, por São Lourenço Siro (que hoje acredita-ser ser um bispo da Sabina e não um monge que veio do Oriente, fungido às perseguições).

Penso que seja dispensável sublinhar a quantidade de estilos de períodos diferentes que fazem com que este monastérios seja uma verdadeira pérola dos arredores de Roma!

A abadia é o edifício mais antigo da zona da Sabina* dedicado à Virgem Maria.

Vista sobre a abadia de Farfa
Parte do enorme complexo da abadia, vista pelos fundos, 
que é por onde se entra

Durante a Idade Média, moravam aqui quinhentos monges. Hoje são somente seis!

Interessante observar as duas fases de contrução do monastério, dividos por convenção em "Basílica Original" (século VI) e "Basílica Carolíngea". (século IX).

Fachada Igreja da Abadia de Farfa, com guia em português
A maravilhosa entrada da basílica de Farfa

A lenda diz que já no final do VI século, a abadia tinha sido atacada por longobardos, até que no ano de 680, a Virgem indicou um lugar a São Tomás de Moriana, onde ele deveria construir um santuário dedicado à ela, em troca de sua proteção. Depois de 25 anos  São Tomás conseguiu a proteção do Duque de Espoleto para a reconstrução do novo monastério.

Abadia de Farfa nos arredores de Roma, tours com guia brasileiro
Detalhe do portão de entrada da basílica

Lunetta da entrada da Abadia de Farfa, com guia em português
Detalhe do afresco da luneta do portão de entrada

Depois da morte de São Tomás o grupo de monges de vida santa, capacidade administrativa e experiência política estava decididos a transformar este lugar num monastério digno do lema beneditino ora et labora.

O monastério ainda tem um enorme pomar com árvores de fruta e, como toda estrutura deste tipo, era no seu auge, completamente auto-suficiente!

Nave central e baldaquino, Igreja da Abadia de Farfa, com guia em português
O baldaquino da basílica de Farfa, com restos do pavimento pré-cosmatesco
 e o teto decorado com grotescas da escola dos irmãos Zuccheri

Dos monges famosos que viveram aqui, destaca-se o francês Alano, que realizou uma coletânea de homilias utilizadas nas liturgias e o monge sabino Provato, que entre outras coisas realizou um aqueduto que fornece água ao monastério que ainda existe e funciona!

Foi aqui que o imperador Carlos Magno dormiu, quando estava indo à Roma para ser coroado pelo Papa Leão III!

Arcadas da nave central da Abadia de Farfa, guia em português
Colunas que sustentam a divisão das naves

Entre as riquezas artísticas da abadia, a representação do Juízo Universal da contra-fachada, obra realizada em óleo por um artista flamingo, Henrik van der Broek, em 1561 em uma interpretação manierística do grande afresco da Capela Sistina de Michelangelo.

A abadia oferece visitas guiadas (em italiano), onde pode-se visitar a biblioteca, com livros raríssimos do século XI, parte dos subterrâneos sobre o qual foi construído o primeiro monastério e uma farmácia com produtos produzidos pelos monges.

Parada obrigatória para os devotos de São Bento!

* Sabina: zona da Itália central localizada entre o Lácio, Umbria e Abbruzzo.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Caravaggio

"(...) Emblemas claros, imagem perfeita da desgraça incurável da idéia que tudo o que faz o diabo,
 é feito de maneira excelente!(...)"

Flores do Mal, C. Beaudelaire, 1857

A vida de uma pessoa depois de ter visto seu primeiro Caravaggio nunca vai ser a mesma.

"Descanso na Fuga para o Egito", de Caravaggio - visitas guiadas em português
Descanso na Fuga para o Egito, 1597, 135,5 × 166,5 cm

Personalidade definida como "extravagante" por um de seus mecenas, o Cardeal Del Monte,
Caravaggio foi um Jimmy Hendrix, um Jim Morrison, uma Janis Joplin ou uma Amy Winehouse; mas viveu entre 1571 e 1610. Claro, a vida de uma pessoa que nasce para subir no pódio ao lado de Michelangelo e Leonardo Da Vinci não poderia ser simples!

"O Martírio de São Mateus", de Caravaggio - excursões com guia particular em português
Martírio de São Mateus, 1600, 323×343 cm

Personalidade genial e de sangue quente, teve seu trabalho valorizado somente trezentos anos após a sua morte, quando o histórico da arte Roberto Longhi lembrou ao mundo, que não teriam existido Ribera, Delacroix, Vermeer ou Rembrandt, se Caravaggio não tivesse aberto a estrada!

Sabemos que sua formação aconteceu na oficina de Peterzano (aluno de Tiziano), em Milão.

Na escola de Milão, Caravaggio não só aprende a técnica excelente do seu maestro, mas aprende a olhar para os sentimentos como um evento extremamente introspectivo, a pintar a natureza mais parecida com o que os olhos vêem; as sombras passaram a ser inseridas com a intenção de reforçar o efeito do chiaroscuro (claro-escuro) e de escrutinar a natureza do Homem e do mundo que o circunda.

Sabemos que em 1590 Caravaggio já estava em Roma e  trabalhava na oficina de Cavalier D'Arpino, um pintor manierista com uma carreira estável e de sucesso; sua vida era muito dura, seu tempo dividido entre doenças, vícios e a pintura, acompanhados de muita miséria.

"O Baco doente", de Caravaggio - excursões com guias particulares em português
Bacchino Malato, 1593-4, 67×53 cm

Durante o um período no hospital, acredita-se que pintou o famoso "Bacchino malato", em torno aos anos de 1593-95.

Tudo mudou quando o Cardeal Del Monte o levou para casa, lhe deu um salário e o apresentou para a alta sociedade romana. Peraí, tudo não, pois a essência do nosso roqueiro continuava a mesma: prostitutas, bebedeiras, brigas e um currículo de boletins de ocorrência na polícia que só aumentava. E Caravaggio pintava... é deste período a maravilhosa "Madonna dei Pellegrini", retrato de sua amiga Lena com seu filho de três anos.

"Madonna dos Pelegrinos", do Caravaggio, gênio do Barroco
Virgem dos Peregrinos, 1604-06, 260×150 cm

Seguem Fanciullo con canestro di frutta, I bari, Maddalena penitente, San Francesco di Assisi in estasi, I musici, San Francesco in Meditazione, Ragazzo morso da un ramarro, Suonatore di liuto, Fuga in Egitto, Canestro di frutta, Bacco, Buona Ventura, a famosa Medusa, Santa Caterina d'Alessandria, Davide e Golia, Sacrificio di Isacco, San Giovanni Battista, Marta e Maria Maddalena, Ritratto di Maffeo Barberini, Narciso, Giuditta e Oloferne, Vocazione di San Matteo, Martirio di San Matteo, Crocefissione di San Paolo, Crocefissione di San Pietro, Incredulità di San Tommaso, Cenna in Emmaus, San Matteo e l'angelo, San Giovanni Battista, Cattura di Cristo, Amore vincit Omnia, Incoronazione di spine, Sacrificio di Isacco, Deposizione di Cristo, Morte della Vergine, Madonna con bambino e Sant'Anna, Madonna dei Pellegrini, Ritratto di Papa Paolo V.

Em 1606, depois de muitas brigas acontece o pior, e Caravaggio fica gravemente ferido depois de uma briga, mas seu oponente, um tal de Ranuccio, morreu.

Condenado à decapitação, começa a fuga que vai ter um triste fim em 1610, numa praia a 40km de Roma.

Protegido pela família Colonna, Caravaggio chega em 1607 a Nápoles, onde morou e pintou intensivamente por um ano (memorável a tela Le sete Opere di Misericordia).

"Deposição de Cristo", Caravaggio, gênio do Barroco
Deposição de Cristo, 1602-4, 300 x 203cm

Somente a obtenção de um título de cavaleiro (e com a consequente imunidade adquirida) poderia salvá-lo. A fiel família Colonna ajuda Caravaggio a chegar em Malta, onde pinta a Decollazione di San Giovanni Battista (uma tela de 1608 que mede 5,20m X 3,61). Com essa pintura, Caravaggio obtém o famigerado título de Cavaliere di Grazie.

"Natividade" de Caravaggio, tela infelizmente roubada Caravaggio, excursões com guias de turismo em português
 "Natividade com os santos Lourenço e Francisco de Assis", ~ 1600-1610 - tela roubada do oratório de S. Lourenço, Palermo, ainda desaparecida.

Entre 1600 e 1610, Caravaggio pintou uma cena de natividade.  Como ver um quadro de Caravaggio? Neste caso, observe, por exemplo, como essa representação do grande maestro exalta a pobreza e a naturalidade dos personagens, fazendo com que as pinceladas a óleo pareçam uma fotografia aos nossos olhos pós-modernos. O barulho faz-se silêncio e a malinconia é lida na linguagem corporal e nos olhares dos personagens ao redor do recém-nascido. O duro jogo de luzes e sombras é aliviado graças à presença etérea do anjo que, pairando no ar, dá a confirmação certeira da origem divina deste menino-deus.


Mas, voltando à nossa história, o que acontece?! Em vez de suspirar aliviado e pensar nos milhares de outros quadros que poderia pintar para que pudéssimos admirar a sua inteligência, sensibilidade e habilidade, se mete em outra briga, mas desta vez com um nobre! Neste momento descobrem  que Caravaggio tinha sido condenado à morte, e ele é preso. Como um super-herói, escapa da prisão e vai à Sicilia, mas a este ponto ele é duplamente perseguido e seu título de cavaliero é revocado. Siracusa, Messina e Palermo o recebem e ele pinta a Adorazione dei Pastori,  La Resurrezione di Lazzaro e La Natività.

De Palermo, retorna à Nápoles, onde é massacrado pelos fiéis do nobre maltês com quem ele tinha comprado a briga. Alguns até pensaram que ele tinha morrido, mas o nosso Bruce Willis não morre facilmente e inaugura una nova estação na sua pintura com Santa Orsola e com o Davide con la testa di Golia.

Grafiti de quadro de Caravaggio em Trastevere, visite Roma com uma guia que fala a sua lingua
Grafiti com detalhe de obra de Caravaggio, em Trastevere

No meio-tempo seus protetores de Roma estavam quase conseguindo que papa Paulo V assinasse a sua graça.

Caravaggio morreu em circunstâncias pouco claras em Porto Ercole e foi enterrado numa fossa comum do cemitério de São Sebastião.

Em 2002 foi erguido um monumento em homenagem ao grande pintor. Oito anos depois foram exumados espólios deste cemitério numa tentativa de identificar os restos de Caravaggio. Vários laboratórios científicos confirmam o achamento, que foi posteriormente enviado de volta à Porto Ercole, e estão agora no interior de um forte.

Intrigas e relações delicadas entre os séculos XVI e XVII. E se essa imagem que ficou para nós do Caravaggio tivesse sido construída pelo poder por que ele era um personagem que incomodava muita gente com a sua pintura? Ah, para desvendar este mistério, saber por quais ruas caminhava, e tudo o que se sabe sobre este gênio, entre em contato e reserve já o seu tour "Caravaggio"!

Se alguém gamar no Caravaggio, pode ver o filme feito pelo inglês Derek Jarman (1986) https://www.youtube.com/watch?v=N_TAZbRwxY8.