quarta-feira, 29 de abril de 2015

Museu Etrusco com guia de turismo em português

Fico muito feliz com a quatidade de viajantes que retornam à Roma, querendo conhecer mais profundamente a cidade, “além do Coliseu e da Capela Sistina”, pois esta cidade realmente oferece uma infinidade de atrações.


Jardim do Museu Etrusco
Eu com minha amiga dos tempos pré-históricos da PUC, com a sua família

Parada “quase obrigatória” para a segunda vez de quem vem à Roma é o Museu Etrusco da Villa Giulia – como toda a Itália, uma guia de turismo que fale português é extremamente importante para ajudar na leitura de um material tão denso e pouco legível aos olhos do viajante curioso.


Reconstrução Tumba com afrescos de Tarquínia
Afresco da necrópoles de Tarquínia, completamente remontado no 
interior do Museu Etrusco de Villa Giulia

A “Villa Giulia” é uma mansão renascentista que passou pelas mãos dos mais geniais arquitetos, com partecipação pouco importante do Vasari, “correção” de Michelangelo, mas esta maravilhosa mansão tem a assinatura do Vignola, exatamente na metade do século XVI. Papa Júlio III, que mandou construí-la, investiu tanta dedicação e dinheiro neste projeto, mas infelizmente morreu quase imediatamente depois da finalização da monumental construção, sem poder aproveitá-la. Mas vamos ver o que nos espera!

Este terreno tinha pertencido ao Cardeal Del Monte, o famoso mecenas de Caravaggio, depois à famosa família Borgia, e na época era tão longe de tudo que era um terreno cultivado.


Vasos etruscos e gregos do Museu Etrusco de Roma
Cerâmica grega encontrada nas tumbas etruscas, símbolo do 
poder dos príncipes etruscos

A típica mansão, ou villa, era divida em uma parte privativa, com arquitetura refinadíssima para recebimentos, e outra com cultivação da terra.

Assim que entramos, a primeira coisa que vemos além do pátio central, são os afrescos do deambulatório, ou seja, do corredor com teto abobadado com grotescas, isto é, figuras fantásticas e arabescos.

Mas vamos logo pegar o corredor da esquerda e entrar no museu, que em primeiro lugar nos propõe um mapa para nos esclarecer onde ficava a Etrúria. E se olharmos com atenção este mapinha tão inocente, vamos logo perceber a fantástica posição geográfica de Roma em relação à antiga “piscina” chamada Mar Mediterrâneo.


Gráfica da península itálica com a ocupação etrusca
Mapa da ocupação etrusca

Podemos acompanhar o desenvolvimento do que nos resta como testemunhas desta civilização quase exclusivamente através das suas sepulturas. O povo vilanoviano desta região, através do contato com os gregos, da sua habilidade em trabalhar o ferro e, impossível não presumir uma natural engenhosidade, teve uma rápida ascenção como monarquia tassalocrática do Mediterrâneo e que conhecemos hoje como etruscos.

A coleção do museu nos mostra as maravilhosas urnas funerárias “bicônicas”, ânforas e em “forma
de caixa”, típicas do povo vilanoviano, população autóctona do final da Idade do Bronze e que ocupava as zonas que se desenvolveram posteriormente nas cidades da confederação etrusca.


Vaso bicônico etrusco
Urna "bicônica" em cerâmica

O famoso “bucchero”, vasos realizados em cerâmica com um procedimento especial de queima, são abundantes na coleção. Interessante também poder observar a quantidade de vasos de importantes artistas gregos encontrados na Etrúria, verdadeira loucura que demonstra a riqueza dos príncipes e nobreza etruscas do ápice do seu desenvolvimento, no VI séc a.C.. Imprescindíveis os esclarecimentos de uma guia de turismo sobre o misterioso alfabeto dos etruscos, para fazer com que o quebra-cabeça deste povo começe a se tornar legível na nossa cabeça!

Vaso em bucchero
Pequeno vaso em bucchero

Imperdível o “Sarcófago dos Esposos” peça em enormes proporções em cerâmica do ano 520 a.C., encontrada literalmente despedaçada em 400 partes e pacientemente remontada por mãos de hábeis restauradores que nos conta mais do que como eram os etruscos, mas de como “queriam ser vistos” pelos outros, além da especial relação homem-mulher deste povo.

Sarcófago dos Esposos
O famoso sarcófago dos esposos
(difícil de fotografar por causa do reflexo da vetrine!)

A reconstrução da sepultura de Tarquínia, descoberta em 1873, é também uma das principais atrações deste museu. Maravilhosos afrescos nos contam sobre a visão da vida após a morte dos etruscos, a simbologia da escolha dos animais e das cores representadas têm uma função importante, que como todo o resto pode ser melhor explicado com uma boa guia de turismo que fale português e acompanhe você nesta aventura de contato com uma civilização distante de nós 2.700 anos.

Fascinante o que sobrou do Santuário de Pyrgi, no porto que se extendia por uma área de dez hectares e que deu trabalho por 50 anos aos arqueólogos da “Universidade La Sapienza”!


Lâmina do tratado entre etruscos e fenícios
As lâminas de ouro, tratado assinado entre etruscos e fenícios

A coleção nos mostra uma série de objetos utilizados pelos povos antigos, como vasos, jarras, copos e instrumentos de limpeza corporal que nos permitem finalmente descobrir a função de curiosas manufaturas que vemos não só neste museu.


Apolo de Vulca
O fantástico Apolo de Vulca, artista do VI séc a.C.

Outras preciosidades que cobrem aspectos da importante vida religiosa dos etruscos serão desvendadas aqui com a gente.

Reserve a sua excursão com guia de turismo em português com antecedência! Escreva para patcarmobaltazar arroba gmail.com ou preencha os dados da sua viagem aqui: http://www.guiabrasileiraemroma.com.br/#!contato/c1lmm

Museus em Roma:

Museus Capitolinos
Museu Etrusco
Galleria Borghese
Museu Barraco
Palácio Máximo

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Ginostra, na Sicilia

Existe um pequeno paraíso mediterrâneo no sul da Itália em forma de ilha, que se chama Sicilia.

Uma parte-satélite deste Paraíso fica nas ilhas Eólias, da qual a pequena cidade de Ginostra faz parte.
Esta ilha ficou famosa no cinema em 1950 quando Roberto Rossellini filmou "Stromboli" com Ingrid Bergman no papel principal. 

Guia de turismo na Sicilia
Vista da casa de Ginostra

VIP tours em portugues
A ilha de Stromboli

A ilha tem 40 habitantes durante a baixa estação, que durante a alta chegam a 350-400. Aqui tem o que eles chamam o menor porto do mundo, inaugurado em 2004 - e eu ainda nem vi este porto, pois a última vez que estive lá era o ano de 2002, veja a cara da moleca toda feliz na praia de escolhos:

Guia brasileira na Sicilia
Patricia, 2002, Ginostra

O porto na época, não existia, era uma verdadeira aventura chegar aqui, pois só descíamos da balsa "se o mar permitia" - e, naturalmente para ir embora era a mesma coisa!

Ginostra, na Sicilia
Grande emoção antes de descer da balsa para o barquinho que nos pegava para levar à ilha!


Descendo do navio à ilha
No barco, chegando na ilha, cidade de Ginostra

Nunca vou esquecer que tinha essa moça no barco com  a gente que levava esta rosa... foi uma emoção muito grande passar estas férias em Ginostra! Paz total dos sentidos regada à vinho siciliano e comida muito saudável, exatamente o que estava precisando!

Olhem o "porto" como era:

Paisagem rochosa em Ginostra, Sicilia
Porto de Ginostra, antes da construção do verdadeiro porto, em 2002

O mediterrâneo é a minha paixão, amo a vegetação, o mar azul transparente e as praias de rochedos.
As plantas mais comuns da ilha são o figo-da-Índia e as romanzeiras, que a gente fica bobo de ver como passam longos períodos sem chuva!

Vulcão Stromboli, Sicilia
Figo-da-Índia e topo do vulcão

Ah, essa era a vista da minha casa, você vê a parede e o teto da entrada. Olhem mais aqui:

Casa típica de Ginostra, na Sicilia
Entrada da casa em Ginostra

As casas de Ginostra são na maioria todas brancas e tem um poço para pegar água. Em 2002 ainda não tinha eletricidade na ilha (nem carros), tomávamos banho com água do poço e para ir à praia e fazer compras, só a pé mesmo!

Luz do final do dia em Ginostra, Sicilia
Aqui o poço da nossa casa na luz da tarde - olha que maravilha!

Interior de casa típica na Sicilia
O interior de uma casa típica de Ginostra


Meu atelier na Sicilia
E assim, olha o meu atelier!

Hoje em dia, a infra-estrutura já está bem melhor, para quem precisa de eletricidade e etc, mas com certeza este lugar pode ser (ainda) considerado como um paraíso "alternativo", para pessoas que curtem tranquilidade, silêncio, passeios na mata mediterrânea e em rochedos, além do cardápio de peixe e o tradicional vinho siciliano!

Mais Sicília? Vem com a gente pra Siracusa!

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Souvenir em Roma

Todo mundo leva um souvenir da cidade que visitou. Já me perguntaram onde poderiam comprar uma máscara do carnaval de Veneza em Roma, pois a pessoa não ia chegar lá, mas gostaria muito de ter uma. Ou querem levar um terço de boa qualidade para os familiares, ou um anel com uma oração em português; ou tem um amigo ou amiga judeus e gostariam de levar alguma coisa que tivesse a ver com a religião hebraica. Ou são apaixonados pela Vespa, ou pela Ferrari e querem um boné, camiseta ou bolsa de couro.

Souvenirs em Roma: bolsa da marca Vespa
Bolsa da marca Vespa

O cantinho Ferrari

Máscaras do carnaval de Veneza

Close-up de máscaras do carnaval de Veneza

Aqui em Roma existe uma loja que vende tudo o que você pode imaginar!

Souvenir: o crucifixo de papa Francisco
O crucifixo de papa Francisco

Essa lojinha de souvenirs fica perto do Vaticano e tem três vendedoras brasileiras que entendem tudo de todos os santos e rezas, escapulários e simbologia hebraica possíveis e imagináveis.

Terços em ouro e prata, ônix, swarovski, com mosaicos ou feitos de madeira de oliveira

Simbologia judaica

Ani Le Dodi Ve Dodi Li,  em ouro- "Eu pertenço ao meu amado e meu amado me pertence.", 
belíssima simbologia judaica, do livro de Salomão 6:3

Se você se apaixonou pelo livrinho com as reconstruções de Roma quando foi ao Coliseu que a guia mostrou, vai encontrar aqui; catálogos com as melhores fotos da basílica de São Pedro, da Capela Sistina (e aproveito para lembrar que tirar fotos sem flash é o melhor jeito para ajudar a preservar afrescos e pinturas em óleo!) ou da Pinacoteca Vaticana, aqui tem.

Para crianças que ainda brincam com jogos que não sejam eletrônicos, aqui têm quebra-cabeças com o teto da Capela Sistina ou do Coliseu.


Trabalho em mosaico com a "Criação de Adão", detalhe do 
teto da Capela Sistina de Michelangelo

Se você é fan da Hipácia e se apaixonou pelas Salas de Rafael, aqui vai encontrar uma reprodução de ótima qualidade para levar como souvenir!


Hipácia, por Raffaello


Figuras para Presépios, imagens de Padre Pio, imagens da Virgem Maria em materiais resistentes para serem colocadas fora de casa, vasos e cinzeiros em vidro de Murano, reproduções em mosaico de obras famosas de Michelangelo, pratos que reproduzem ábsides de igrejas, miniaturas da Pietà de Michelangelo ou de esculturas da Galleria Borghese e Uffizi.

Lembrançinhas da Itália para todos os bolsos!

Vai um Padre Pio (San Pio) aí?

Apresente este voucher para ter o desconto por ser leitor do blog:

Voucher para descontos na compra de souvenirs na loja Vacanze Romane

Quem estiver procurando souvenirs alternativos em Roma, por favor acesse a página http://guiaderoma.blogspot.de/2017/06/souvenirs-alternativos-em-roma.html.

Como chegar neste loja:
Vacanze Romane
Via Rusticucci 10, Roma
Tel: 06 68300215
Email: vacanzeromaneshp@gmail.com
Horario de abertura:
Março - Outubro: 9h – 18h
Novembro - Fevereiro 9h – 17h

Mapa da loja Vacanze Romane

domingo, 12 de abril de 2015

Basílica de São Lourenço Fora dos Muros


Nave central da basílica de São Lourenço em Roma

A Basílica de São Lourenço Fora dos Muros é uma das cinco basílicas patriarcais de Roma e um verdadeiro tesouro de preciosidades artísticas, históricas e religiosas.

São Lourenço morreu mártir durante o principado do Imperador Valeriano, no ano de 258. As fontes da sua hagiografia (descrição da vida dos santos) nos contam que ele teria sido grelhado vivo. Por esta razão ele é sempre representado segurando uma grelha, o objeto do seu martírio. No Juizo Final do Michelangelo , São Lourenço aparece logo abaixo do maravilhoso Cristo, levemente à esquerda:

São Lourenço, iconografia típica

São Lourenço foi martirizado por não querer entregar ao imperador tesouros da igreja que eram distrubuidos à viúvas, órfãos e pobres na sua diaconia. A igreja surge sobre a sepultura do santo, comemorado dia 10 de Agosto, dia da sua morte.

Fachada de São Lourenço Fora dos Muros hoje, foto de Georg Schelbert

A primeira construção também nos manda ao período do Imperador Constantino, o que faz desta basílica uma preciosidade paleocristã. A parte atrás e abaixo do altar (presbitério) é onde encontramos a antiga basílica do Papa Pelágio, do IV século, e a nave central foi construída por Onório III (papa famoso por ter aprovado a Regra da Ordem de São Francisco).

A fachada sóbria de tijolinhos com o pórtico provavelmente realizado pelos Vassalletto foi realizada em torno ao ano de 1220 e infelizmente destruída durante a II Guerra Mundial no triste bombardamento do bairro de São Lourenço.

Foto histórica de Wikipedia do séc. XIX, onde podemos ver os mosaicos que enfeitavam a fachada


No pórtico, vemos os excepcionais dois leões do antigo prótiro - comum na Idade Média mas poucos chegaram até nós! Além de significar força, na simbologia cristã o leão tinha a função simbólica de defender o espaço sagrado. Jesus foi descrito no livro do Apocalipse como "o Leão da Tribo de Judá" (Apocalipse 5,5) e na iconografia medieval é símbolo da justiça de Deus.

Assim que entramos na igreja vemos à esquerda a tumba do Cardeal Guglielmo Fieschi (1253), monumento com sarcófago do século III e baldaquino cosmatesco.

Sarcófago da Basílica de São Lourenço em Roma
Tumba do Cardeal Guglielmo Fieschi, São Lourenço Fora dos Muros

Baldaquino da Basílica de São Lourenço Fora dos Muros, Roma
Cibório dos Cosmatas, São Lourenço Fora dos Muros

Precioso o cibório dos Cosmatas, obra mais antiga assinada pelos marmorristas romanos, 1148.

Contra-fachada da Basílica de São Lourenço Fora dos Muros, Roma
Eu, no meu habitat natural, fotografando SEM FLASH a torto e a direito (:

Púlpito da Basílica de São Lourenço Fora dos Muros, Roma
Ambão e candelabro pasqual, também cosmatescos

Incrível a plataforma que sustenta o altar maior . Na parte superior, a cátedral episcopal e na parte inferior, a sepultura de São Lourenço.

Cátedra da Basílica de São Lourenço Fora dos Muros, Roma
Cátedra episcopal, trabalho dos Cosmatas

O maravilhoso mosaico que vemos no arco do triunfo de Cristo com santos é de mão-de-obra do VI século.

Mosaico do arco triunfal da Basílica de São Lourenço Fora dos Muros, Roma
Mosaico do arco do triunfo, Basílica de São Lourenço Fora dos Muros

A excursão poderia continuar pelo pátio, catacumba de Santa Ciriaca e explorando a parte inferior da chamada basílica pelagiana... mas a este ponto se quiserem uma visita completa, entre em contato com a gente!

Reserve seu tour personalizado com guia privativa que fala português o quanto antes! Email para patcarmobaltazar arroba gmail.com

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Palácio Massimo, Museu de Roma

No dia do aniversário de Roma, dia 21 de Abril, decidimos fazer um passeio maravilhoso pela cidade para comemorar a nossa diva eterna! Escolhemos ir ao Palazzo Massimo, um museu que tem uma explêndida coleção de arte clássica, sobretuudo algumas esculturas em bronze, tão difíceis de ver!

Excursões com guia de turismo Palácio Massimo, Museu de Roma

Aqui você vê o famoso pugilista repousando, escultura espetacular do IV século antes de Cristo!

o púgile de Lisippo, excursão com guia de turismo em Roma
Rosto do "Repouso do pugilista", atribuída ao escultor Lisipo

Palácio Massimo, detalhe de Lisippo, escultura em bronze
Detalhe do torso do pugilista, atribuída ao escultor Lisipo

No último andar, temos os famosos afrescos da Villa di Livia, encontrados nos subterrâneos da sua casa de campo, num lugar que se chama "Prima Porta", em 1863. Os restauradores italianos são muito feras, e desenvolveram uma técnica para destacar o afresco inteirinho e levar ao museu, de modo que  ficasse no interior de uma estrutura protegida. E aqui desenvolveram uma iluminação impressionante, que imita a luz do dia em 24h, com uma velocidade acelerada. 

É realmente emocionante sentar nesta sala e observar estes afrescos com a mudança da iluminação da sala!  

Casa de Lívia, afrescos no Palacio Massimo em Roma
Olha eu lá, hipnotizada por tanta beleza!

Este museu é bem grande, reserve pelo menos duas horas e meia para passar aqui dentro, pois têm também esculturas originais gregas que foram encontradas em Roma, sarcófagos romanos, muitos outros afrescos de mansões de famílias nobres, além de mosaicos incríveis, também provenientes das mansões.

Mosaicos, Palácio Mássimo em Roma
Mosaico do Museu Palazzo Massimo de Roma

Depois de nos carregar de tanta beleza, fomos numa doceria ali pertinho para encher o tanque de energia com as delícias sicilianas e um cafezinho!

Pausa para o café depois do tour
Cafezinho necessário depois de tanta beleza!

Doce siciliano em Roma
Doces sicilianos em Roma.

Eu, com as amigas no Palácio Massimo, Roma
Nós três, super-amigas que amam Roma que 
não perdem a oportunidade de descobrir novas maravilhas da cidade eterna!

Palazzo Massimo
Largo di Villa Peretti, 1, 00187 Roma
Aberto todos os dias das 09h às 19.45h. 
Fechado segundas-feiras, 1° janeiro e  25 dezembro.
Tickets: Inteiro € 7,00 - Meio € 3,50