domingo, 16 de agosto de 2015

Trapani, o sal e o vinho.

"Vocês são o sal da terra." Mateus 5:13
Trapani guia poertugues
Igreja Matriz de Erice, Chiesa Madre

Estamos falando de uma planícia onde existe a maior monocultura de uva da Sicília, uma zona habitada entre o primeiro e segundo milênio antes de Cristo, onde se desenvolvou uma das maiores cidades púnicas, ponto estratégico do Mediterrâneo antigo.

Sicilia guia em portugues
A ponta do centro-histórico de Trapani

O vinho Bianco D'Alcamo é conhecido desde o século XVI, quando foi mencionado na crônica da Santa Sede por um sommelier, Sante Lancerio, como um dos melhores vinhos brancos que existiam!

Sicilia em portugues
A torre da Igreja Matriz de Erice

Além das belezas naturais, a cidade ainda mantém a estrutura urbanística do período da ocupação islâmica do IX século, uma infinidade de igrejas barrocas - Trapani é conhecida como a cidade "das cem igrejas", pois nas suas ruazinhas estreitas e curvas, sempre que você olhar ao seu redor, vai ver um edifício de culto. A catedral, dedicada a São Lourenço, é um edifício jesuita da metade do século XVIII que foi construído sobre uma antiga igreja do XIV° século.

Sicilia em portugues
A Casina delle Palme, construção art nouveau com o escritório
 de infos para turistas e música ao ar livre

Fan do românico que sou, adorei a igreja de Santo Agostinho construída pelos templares no último ano do século XIV, com a sua intrigante rosácea, no meio de tanto Barroco!

Centro historico Trapani portugues
Igreja de Santo Agostinho, Trapani

Sicilia, Trapani, guia portugues
Palazzo Cavarretta sendo restaurado, sede do município de Trapani

Interessante o inteiro Corso Vittorio Emanuele com suas construções barrocas. Aqui acima, o Palazzo Cavarretta, iniciado na segunda metade do século XVII, mas com muitas reformas durante os séculos, com  a adição dos santos João Batista e Alberto (infelizmente aqui em restauro) e o relógio, adicionado no início do século XIX.

Cafe da manha na Sicilia
Não, eu não consegui comer todo o meu café da manhã!

Pegamos o teleférico para ir à quase mítica Erice e visitar a famosa igreja Matriz para subir rápida e confortavelmente os 751m do monte São Juliano, pedrona de origem calcárea sobre a graciosa e fértil planície de tufo.

Passeando em Erice, Sicilia
A funivia para Erice...

Passeando na Sicilia, Erice!
... com uma vista deslumbrante...

Amo a Sicilia, guia em portugues!
A vista do alto de Erice

A vista do alto do Monte Juliano é realmente uma experiência que nos deixou de boca aberta. Dá para entender por que um dos mais importantes santuários da antiguidade, o santuário da Vênus Ericina, ficava aqui!

Note que na subida chegamos a ver até as maravilhosas salinas, importante atividade econômica de Trapani, além de ser também um grande programa, pois as salinas são também um espetáculo único.

Trapani e Erice com guia em portugues
Salinas de Trapani

A Matriz fica logo na entrada de Erice e  foi erguida em 1314. Atrás do poderoso campanário, vemos a sólida façada de pedra com o pronaos retangular com quatro arcadas ogivais. Lá queremos entrar agora!

Tours na Sicilia em portugues
Presbitério da Matriz de Erice.

As três naves em estilo gótico que vemos hoje é o resultado de uma reforma da metade do século XIX (aconteceu muito este revival também em Roma). No terceiro altar da direita temos uma notável escultura da  Virgem com o menino Jesus, trabalho de Domenico Gagini, de 1469; no presbitério, imagem em mármore de Giuliano Mancino a Virgem, santos e cenas da paixão, 1513.

Na parede à esquerda, temos um afresco de artesãos catalãos do século XV.

Erice com guia em portugues
Igreja de São João Batista. Delicioso o portão de entrada gótico,
que sobreviveu à reforma do séc. XVII

Entre outras igrejas de Erice, destacamos a São Martinho (ou San Martino), e a igreja do Salvador (Salvatore).

Por último, digno de uma visita é o Castelo de Vênus ou Castello di Venere, antiquíssimo e sugestivo lugar de culto anterior à ocupação grega, onde as escavações de '22 descobriram restos de colunas e capitéis dóricos do período romano e uma pavimentação de mosaicos, restos de um poço sagrado (chamado poço de Vênus), restos de uma residência púnica e termas romanas.

Erice com guia em portugues
Castelo de Vênus, Erice

A estrutura que vemos hoje é do século XII, período da ocupação normanda, onde parte do material do antigo templo foi recicladao na construção. O castelo hospedava representates da monarquia, como o cobrador de impostos, o capitão e a prisão.

O castelo pertenceu à monarquia até o século XVI, quando foi completamente transformado em prisão militar pelos espanhóis. No século XVII a construção foi comprada por um nobre de Erice e em 1819, passou a ser propriedade da prefeitura.

Erice com guia em portugues
Cachorros também fazem siesta em Erice!

Já que chegamos até aqui, vale à pena também uma visita às ilhas ÉgadesFavignana (praia que venceu o prêmio de "a mais bonita" de 2015!), Levanzo e Marettimo, um passeio que podemos fazer com os hidrofoils ou ferryboats, a partir do porto de Trapani.

Favignana com guia em portugues
Entrar no mar até Novembro! Isso é a Sicília (aqui estou em Favignana)!!!

Favignana, guia portugues
Aqui o horário do hidrofoil do porto de Trapani para Favignana, 
que custa só € 12,80 ida e volta.



Day tours Segesta guia portugues
Templo de Segesta, a somente 40km de Trapani

Em 2007 partecipei de uma exposição aqui e tenho doces lembranças da montagem da mostra e dos artistas que parteciparam. Uma muito engraçada era a montagem dos quadros do amigo Hanjo Schmidt, com a gente indo de uma sede à outra com as suas telas!


Trapani guia portugues
John Paul, o gênio irlandês e Hanjo Schmidt, 2007

Sicilia com guia portugues
Eu, com um trabalho da colega finlandesa Ilona Niemi, 2007

Sicilia, Trapani, com guia portugues
Feliz com a amizade que nasceu com a artista coreana Hyesoo Park, 2007


Sicília, a minha Terra Prometida...

Para o seu roteiro personalizado na Itália com guia em português não hesite em escrever para Guia Brasileira em Roma para pedir seu orçamento.

Mais sobre a Sicília: 

Comida na Sicília, uma pequena introduçãohttp://guiaderoma.blogspot.de/2015/08/o-que-e-que-sicilia-tem.html

Palermo: http://guiaderoma.blogspot.de/2016/08/se-uma-cidade-e-tao-fascinante-quanto.html

Selinunte: http://guiaderoma.blogspot.de/2016/10/selinunte-grecia-aqui-na-sicilia.html

Catâniahttp://guiaderoma.blogspot.de/2015/08/o-museu-arqueologico-de-siracusa.html

Siracusahttp://guiaderoma.blogspot.de/2015/07/especial-sicilia-siracusa.html

Museu Arqueológico de Siracusahttp://guiaderoma.blogspot.de/2015/08/o-museu-arqueologico-de-siracusa.html

Trapani:  http://guiaderoma.blogspot.de/2015/08/trapani-o-sal-e-o-vinho.html

Segesta: http://guiaderoma.blogspot.de/2017/06/segesta-na-sicilia.html

Aqui o post sobre Ginostra, uma cidadezinha que fica em Strombolihttp://guiaderoma.blogspot.it/2015/04/ginostra-na-sicilia.html

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

♪ "O que é que a Sicília tem?" ♫

pasta tomate cereja cru e mangericão
Pasta com tomate cereja crú e mangericão.

Todo artigo sobre a culinária siciliana que se preze, começa com a famosa citação de Lévi-Strauss:
"(...) A cozinha é o meio universal pelo qual a natureza é transformada em cultura.(...)", O cru e o cozido, 1964.
Em todo o caso, fica como registro, curiosidade, pois quando penso em aromas e sabores ligados à minha amada Itália, ainda em ambiente francófono, não posso não pensar no "Aula" de Roland Barthes, que nos acompanha desde o Fórum Romano e vai até aonde você imaginar, sublinhando a raiz comum das palavras saber e sabor. A origem da nossa língua, usos e costumes está arraigada neste lugar: arraigado, fixado pela raiz, enraizado. Pronto, chegamos na terra e no ritmo dado à nossa vida através das quatro estações.

A terra vulcânica impregnada de silício e de todo o bem divino possível e imaginável faz com que os produtos desta ilha sejam simplesmente sublimes... imagino os primeiros colonizadores gregos de boca aberta após comer o primeiro fruto desta terra! Um eventual crescimento da população sobre um terreno escassamente cultivável pode ter sido a razão para o início de uma doce aventura que hoje chamamos de Sicília.

pasta alla noorma
Pasta alla norma

Os refrões desta terra são as frutas cítricas, a alcaparra, as azeitonas, o salsão, a uva passa, o pinólis, as folhas de louro, a amêndoa e o pistache; pois aqui nessa terra tudo que se planta nasce, cresce e floresce - e é bom demais, meu Deus!

Adoro verdura e um prato siciliano famoso é a caponata - um prato de preparação longa. Os ingredientes básicos são beringela frita, cebola, alcaparra, azeitonas, salsão, e em algumas zonas temos as variações com uva-passa e pinólis.

Nos arredores de Siracusa vamos comer um peixe azul muito bom. Típica é a pasta con le sarde, a pasta com sardinha, com uma uva-passa pequenininha que se chama passoline, erva-doce selvagem, cebola, pinólis e alçafrão. O prato é servido salpicado com pão torrado moído tostado - está dando pra entender o tamanho da encrenca?
Aqui são famosas as cultivações de amêndoas e o famoso Nero D'Avola. A granita de Siracusa tem a casca da amêndoa; a de Catânia, não.

Granita de amêndoas

Em Ragusa tem uma raça de vaca que só existe lá. Com o leite desta generosa vaca, produzem o famoso caciocavallo, um queijo curado D.O.P. que nem te conto, e que já era comercializado no século XIV; aqui também fazem uma focaccia chamada vota vota, uma espécie de pizza recheada com o interior da massa bem tenro.

A cultivação de oliveiras aqui na ilha é milenar. Acredita-se que as primeirars árvores foram introduzidas pela população micênica ou pelos fenícios.

Na maior ilha do mar Mediterrâneo temos, naturalmente, vários tipos de azeite: o da região de Siracusa, Ragusa e Catânia, que é meio frutado e picante; o azeite da região de Messina e do Vale de Demone é doce e mediamente frutado; o trapanese é um azeite muito forte, amargo e picante; o do Monte Etna é um meio-termo entre o siracusano e o messinês; o do Vale do Belice é frutado e com uma fragrância intensa; o do Vale do Mazara é levemente frutado com forte aroma herbáceo.

Risoto de presunto crú no melão cantaloupe e rolinho de pimentão na travessa retangula
Risoto de presunto crú no melão cantaloupe e
rolinho de pimentão na travessa retangula 

Palermo é famosa pelos seus rolinhos com queijo primosale (um queijo fresco com sabor muito delicado), cebola miolo de pão e folhas de louro; em Messina temos uma variação destes rolinhos, que aqui são feitos com peixe-espada, ou como nas sarde a beccafico, sardinhas recheadas com cebola, miolo de pão e folhas de louro, uva-passa, suco de limão e em algumas zonas até açúcar!

tiramisù
Tiramisù

Em Catânia, quando bater aquela fome do turista que acordou cedo e andou pra dedéu, vai adorar o sanduíche de carne de cavalo (em forma de almôndegas ou fatias)... que ninguém quer comer, mas vê em todo o lugar e acaba experimentando - nesta hora vá à Via Plebiscito. Daí, para matar a sede você toma um seltz com limão e sal - remédio santo para quem tem pressão baixa!

Tour personalizado SIcilia - Gastronomia
Meu seltz me salvou a vida!

A pasta preferida do Dib e da Cassandra é a pasta alla norma, feita com molho de tomate, beringela frita e ricota salgada ralada - saudades, meus caros, ia gostar tanto de passear com vocês por aqui!

Quanto à massa, é típica na Sicília a pasta al forno (o "macarrão de forno") feito em mil maneiras; por exemplo em Mòdica este prato é preparado com vários tipos de carne, abobrinha frita, cogumelos, ervilhas, cebola, ovo cozido e salame.

Em Trapani comemos o cuscus trapanês, que aqui tem influência do prato marroquino, mas a diferença é o caldo de peixe, vôngole e camarão - temperado com alho, cebola, salsinha, folhas de louro, salsão e amêndoas moídas.

Tour personalizado SIcilia
Patricia, enquanto se prepara para combater um cannolo

Acho que deve ser um mês que em qualquer post que escrevo sobre a Sicília, coloco sempre uma granita no meio (e obviamente já falei aqui de granita), então para finalizar, inútil falar de cannoli, que todo mundo conhece, a massa frita recheada de ricota, baunilha e chocolate; mas o chocolate artesanal de Mòdica não é um chocolate artesanal "normal", pois dizem que a receita utilizada aqui hoje ainda é aquela trazida pelos espanhóis no século XVI, que por sua vez "estudaram" diretamente com os astecas, que realizavam a pasta com temperaturas baixas (nunca passando dos 40°C). Um mundo que não conhece gordura vegetal, leite nem lecitina de soja.

Tour personalizado SIcilia - Doces
Tradição em fazer doces com amêndoas!

As fotos deste post são da nossa guia siciliana, que me orientou durante todo o meu período de trabalho em Siracusa e arredores em 2015 e que não poderia não ser uma cozinheira de mão cheia e que dá aulas de culinária em Catânia.

Tour personalizado SIcilia - Gastronomia
Doce com creme de pistache

Para o seu roteiro personalizado na Itália com guia em português não hesite em escrever para Guia Brasileira em Roma para pedir seu orçamento.

Mais sobre turismo na Sicília:

Comida na Sicília, uma pequena introduçãohttp://guiaderoma.blogspot.de/2015/08/o-que-e-que-sicilia-tem.html

Palermo: http://guiaderoma.blogspot.de/2016/08/se-uma-cidade-e-tao-fascinante-quanto.html

Selinunte: http://guiaderoma.blogspot.de/2016/10/selinunte-grecia-aqui-na-sicilia.html

Catâniahttp://guiaderoma.blogspot.de/2015/08/o-museu-arqueologico-de-siracusa.html

Siracusahttp://guiaderoma.blogspot.de/2015/07/especial-sicilia-siracusa.html

Museu Arqueológico de Siracusahttp://guiaderoma.blogspot.de/2015/08/o-museu-arqueologico-de-siracusa.html

Trapani:  http://guiaderoma.blogspot.de/2015/08/trapani-o-sal-e-o-vinho.html

Segesta: http://guiaderoma.blogspot.de/2017/06/segesta-na-sicilia.html

Aqui o post sobre Ginostra, uma cidadezinha que fica em Strombolihttp://guiaderoma.blogspot.it/2015/04/ginostra-na-sicilia.html

domingo, 2 de agosto de 2015

O Museu Arqueológico de Siracusa

Não dá para não falar duas coisinhas sobre o Museu Arqueológico de Siracusa, mais conhecido como "ah, o Paolo Orsi" entre os siracusanos.

Tour personalizados Siracusa
Gorgone do Templo de Apollo, Siracusa

Isso por que na virada do século XIX ao século XX, quando importantes cartas eram jogadas no mundo da arqueologia, um certo Paolo Orsi, do norte da Itália, veio à Siracusa e trabalhou por quase meio século dando voz a espaço e tempo que há milênios tinham sido esquecidos pelo Homem.

Todo o período anterior à colonização grega (necrópoles de Pantalica, Caltagirone, que nos conta das relações da população sícula com o mundo mediterrâneo) até o período do Império Bizantino, passando por catacumbas cristãs foi minuciosamente estudado pelo Orsi; em poucas palavras, este homem desvendou dimensões que até então nunca tinham sido ousadas neste território.

Dito isso, o museu existe desde 1878 e conta hoje com mais de 18.000 peças que representam a maior coleção da Sicília, e uma das maiores, neste gênero, da Europa.

Para enfrentar os 9.000m quadrados, aconselho uma granita de amêndoas e um café, antes de começar!

A "nova" sede do museu, inaugurada em 1988, é dividida em três áreas que representam faixas de tempo diferentes três planos diferentes.

"Começando pelo começo", isto é, pelo setor A, aprendemos um pouco da curiosíssima formação geológica da Sicília e dos povos que aqui habitaram entre o Paleolítico e a Idade do Ferro. Tem também o molde de um elefante-anão.

Maravilhosas as cerâmicas do período entre o IV° e o III° milênio:

Tour personalizados Siracusa
Cerâmica do período Neolítico

Tour personalizados Siracusa
Cerâmica e fragmentos com desenhos abstratos, período Neolítico

Tour personalizados Siracusa
Fiquei louca com a estes vasos: formas, cores e decoração!!!

O setor B abrange o período da colonização grega, o Kouros de Lentini que eu tanto queria ver e pedaços de templos, com a maquete, de modo que entendamos melhor o que vemos em Ortigia.

Tour personalizados Museu Arqueológico Siracusa
Reconstrução do Templo de Apolo e... ói que maravilha de gárgula que este templo tinha!

Tour personalizados museu arqueológico Siracusa
Admirada perante tanta beleza!

Tour personalizados museu arqueológico Siracusa
Conferindo a escrição em grego na coxa do Kouros: VI - V séc. a.C.

A nossa guia nos disse que a palavra siciliana "caruso", que quer dizer "garoto", vem de Kouros: termo moderno utilizado para definir as esculturas deste período que significam "rapaz", em grego - as esculturas completas eram acompanhadas pelo inconfundível e maravilhoso sorriso arcaico!

O setor C é dedicado às colônias de Siracusa com pequenos ídolos, figuras e oferendas e vasos com figuras pretas;
Tour personalizados Siracusa portugues


O setor D foi inaugurado em 2006 e possui estatuária, objetos, parte de monumentos, produção de manufatura e monumentos funerários desde o período helenístico até a conquista romana.

Para os interessados no período paleocristão, no setor F temos o importante sarcófago, "La Rotonda di Adelfia",  com cenas esculpidas do antigo e novo testamentos e a inscrição de Euskia, testemunha já no V século a devoção à Santa Lucia, também descoberta por Orsi

Na saída, aconselho escolher um bom restaurante para comer a pasta alle sarde com um Bianco D'Alcamo!

Garanta a sua viagem na Itália com guia em português particular da mais alta qualidade; não hesite em escrever para Guia Brasileira em Roma para pedir seu orçamento.

Horários de Abertura
Segundas: fechado
De terça a sábado: 9.00 - 18.00
Domingos e feriados: 9.00 - 13.00
Tickets
Inteiro € 8,00
Meio (18-25 anos)   € 4,00
Gratuito para menores de 18 anos
Site oficial: http://www.regione.sicilia.it/beniculturali/museopaoloorsi/
Endereço: Viale Teocrito, 66 - 96100 Siracusa
GPS: N 37.075480 - E 15.286016

Mais sobre a Sicília: SiracusaCatânia, Trapani, Segesta, PalermoSelinunteGinostra (ilhas Eólias) e Culinária na Sicília, uma introdução básica