quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Os Etruscos

Aqui vai um sintético post sobre Quem Foram Os Etruscos 

Etruscos, objetos de corredo funerário
Urnas funerárias ~séc. X a.C.

Sepultura etrusca, Museu Etrusco em Cerveteri
Tampa de sarcófago típico, com "esposos" representados, Museu Etrusco de Cerveteri


Onde viveram os Etruscos


Os etruscos foram um povo da Itália antiga que viveu na Itália a partir do século X a.C. e que viveu numa área chamada Etrúria, que hoje corresponde à Toscana, Umbria ao norte do rio Tibre no Lácio, com ramificações na região da Campânia e no Vale do Pó na Emilia-Romagna e Lombardia.


 Território ocupado pelos etruscos
Etruria, em laranja escuro

Sobre a origem e procedência do povo Etrusco nasceu uma considerável literatura de significado histórico e arqueológico. Até a década de 1970 acreditava-se, como mencionado no parágrafo 94 do livro de Heródoto, que os etruscos viessem da Ásia Menor, chegando à costa italiana após um período de carência de alimentos no território onde viviam.


Estatuetas realizadas pelo povo etrusco
Estatuetas em bronze que representam "Marte guerreiro", de 500- 380 a.C.

Hoje acredita-se que os Etruscos são autóctones da Itália, que foram os vilanovianos que dominaram o uso do ferro, depois de entrar em contato com os gregos da Magna Grécia e das colônias gregas do sul da Itália.


A civilização etrusca floresceu a partir do século X a.C., atingindo o ápice do seu desenvolvilmento econômico e cultural no século VI a.C. e acabou por ser incluída na civilização romana no final do século I a.C., no final de um longo processo de conquista e assimilação cultural que começou com a tradicional data da conquista da capital etrusca de "Vejo" pelos romanos em 396 a.C. (seguem alguns exemplos de esculturas monumentais que podem ser vistas no Museo Etrusco di Villa Giulia).


Escultura monumental de ceramica realizada pelos etruscos
O famoso Apolo de Veio, escultura monumental em cerâmica
 do ciclo decorativo do Templo de Apolo, séc VI a.C.

Escultura monumental etrusca em ceramica
Hércules, escultura monumental do ciclo decorativo do Templo de Apolo, séc VI a.C.

escultura monumental etrusca, Latona, cerâmica
Latona (detalhe),  do ciclo decorativo do Templo de Apolo, séc VI a.C.

Tarquinia, Arezzo, Perugia e Vejo eram cidades muito mais modernas do que as aldeias do baixo Lácio dos Sabinos e Latinos: todas tinham bastiões de defesa, ruas, mas sobretudo um sistema de esgoto! As cidades eram construídas a partir de um verdadeiro plano urbanístico realizado por engenheiros muito capazes, onde cada detalhe era minuciosamente ponderado e nenhum pormenor da planificação da cidade era deixado ao acaso. Os etruscos não trabalhavam somente o ferro, mas o cobre, o ouro (maestros inigualáveis da filigrana), o estanho e o âmbar.


Seguem algumas fotos de reconstrução de tumbas da zona de Tarquinia, do Museo Etrusco di Villa Giulia:


Sepultura etrusca Tarquinia, Museu Etrusco de Roma

Sepultura etrusca Tarquinia, Museu Etrusco de Roma

Sepultura etrusca Tarquinia, Museu Etrusco de Roma 

O trabalho era bem organizado para o bem da coletividade: através da capacidade etrusca de construir canais e transformar zonas pantanosas infestados pela malária em superfícies úteis à sociedade: eles dominavam a técnica de drenar o pântano! Acima de tudo, temos diante de nós um povo de formidáveis comerciantes que fazia de tudo para multiplicar a sua fortuna.


Ceramica etrusca, Museu Etrusco de Roma
Vasos em cerâmia e bucchero (escuros, abaxo à esquerda)

Seputura etrusca, Museu Etrusco de Roma
Tampa do sarcófago "degli Sposi", obra-prima etrusca dos anos 530-520 a.C., encontrada na Necrópole della Banditaccia, em 1881

Enquanto os romanos não sabiam o que tinha a 60 km ao Norte de onde viviam, os Etruscos já tinham chegado no Piemonte, Lombardia, Veneto e, subindo o rio Reno, comerciavam com franceses, suíços e alemães (que naquele tempo eram populaçoes que não se chamavam assim, obviamente!).


Cerâmica etrusca, Museu Etrusco de Roma
Vasos em cerâmica do período arcaico (VII - IV a.C.)

Roma teve 7 reis, três dos quais eram Etruscos (Tarquinio Prisco, Servio Tullio e Tarquinio o Soberbo) e trouxeram aos romanos, simples pastores, todos os segredos da construção de templos, estradas, pontes e aquedutos (que em parte funcionam até hoje!)! 


Cerâmica, Museu Etrusco de Roma
Cerâmica do Museo Etrusco di Villa Giulia

Recapitulando, entre as cidades etruscas mais importantes, temos:

Veio, perto da atual Ilha Farnese, a mais ou menos 20 km de Roma na Via Cassia;


- Ceres (perto da atual Cerveteri) a 45 quilômetros de Roma sobre a Via Aurelia - onde foram feitas as fotos deste post;


Tarquinia a 90 km de Roma sobre a Via Aurélia.
Outras cidades na margem direita do Tibre:
Falerii Vetus (Civita Castellana), perto da Via Flaminia, a 55 km de Roma.
Capena, perto da aldeia Civitucola, não muito longe de hoje Capena, a 40 km de Roma sobre a Via Tiberina. 

Feronia era um grande santuário onde se realizava uma feira de vasos de "bucchero" - o bucchero é uma cerâmica que apresenta uma composição uniforme de cor preta e uma superfície muito lúcida, obtido através de uma queima com pouco oxigênio. Uma descriç
ão técnica para dizer que os etruscos tinham desenvolvido um tipo de cerâmica que imitava o ferro, mas com um custo muito menor|


Vaso de bucchero, Museu Etrusco de Roma
Maestria etrusca: Vaso de Bucchero - a cerâmica que imita o ferro

É muito difícil não se apaixonar pelos etruscos: amavam comer e organizavam enormes banquetes, amavam a música, a dança e os jogos.
Em Roma  implantaram em 509a.C. a cloaca massima, isto é, a primeira rede de esgotos de Roma que funciona parcialmente até hoje.


Características do povo Etrusco


Eles utilizavam cores brilhantes para suas roupas, suas casas e templos, até mesmo os túmulos e sarcófagos eram coloridos; eram refinados, cercados por objetos que vinham dos quatro cantos do mundo então conhecido; realizavam jóias em ouro com uma técnica especial que se chama "granulazione", que apesar dos esforço nos dias de hoje para compreender esta técnica, ainda não foi completamente desvendada a técnica etrusca


Fragmentos do santuário de Pyrgi, cidade etrusca, Cere, perto de Roma
Reconstrução de parte do santuário de Pyrgi (antiga Cere, a 50km ao norte de Roma), ~460 a.C.

Marte de Todi, escultura importante etrusca, V século a.C.
"Marte di Todi", escultura do séc  V a.C., 141cm, onde o deus é representado realizando rituais antes de uma batalha - Museus Vaticanos (descoberta em 1835, nos arredores de Todi)

Existem poucos exemplares deste trabalho porque os ladrões de tombas nos deixaram bem poucas coisas para admirar, mas o que chegou até nós são peças de incomparável maestria.

Na sociedade etrusca as mulheres tinham um estatuto de igualdade com os homens, sentavam-se ao lado de seus maridos durante os banquetes, participavam de cerimônias religiosas e assistiam aos jogos de esportes, o que naquele tempo era visto como uma coisa escandalosa em todas as outras sociedades! Mas sobretudo... a mulher etrusca recebia uma educaç
ão!

A independência administrativa das cidades etruscas terminou com a "Lex Julia", de 89 a.C..


Reserve seu tour com guia brasileira em Roma com antecedência! Preencha o formulário aqui para que eu possa enviar um orçamento o quanto antes: http://www.guiabrasileiraemroma.com.br/#!contato/c1lmm


Onde ver objetos que testemunham a presença dos etruscos em Roma?


Museu Etrusco de Villa Giulia

Piazzale di Villa Giulia, 9
00196 Roma, Italia
tel. (+39) 06 3226571 e fax (+39) 06 3202010
E-mail: sba-em@beniculturali.it

Preço do ingresso: intero € 8,00, reduzido € 4,00


Horário de abertura:

de terças aos domingos, das 8:30 às 19:30; a bilheteria fecha às 18:30; o museu fechas às segundas-feiras, 1° Janeiro, 1°de Março e 25 de Dezembro. Se, uma segunda-feira (no dia que o museu esta' fechado), for um feriado, o museu abrirá.

Museu Etrusco de Cerveteri
Piazza Santa Maria 00053 Cerveteri
Como chegar de Roma : Autostrada A 12, uscita Cerveteri.
Via Aurelia SS 1, al Km 41,4, bifurcação para Cerveteri: seguir indicações

Horário de abertura: terça - domingo 8,30-19,30;
bilheteria fecha às  18,30.
Fechado: segundas-feiras, 1º de Janeiro e 25 de Dezembro

Preço do ingresso:
Ingresso: inteiro € 6,00 -  meio € 3,00;
Combi:  intero (necrópole + museu) € 8,00, Combi meio (necropoli + museo) € 4,00

Necrópole de Cerveteri: Necropoli della Banditaccia di Cerveteri
Piazzale Mario Moretti (già della Necropoli)
Horário de abertura: terça - domingo 8,30-19,30;
bilheteria fecha às  18,30.
Fechado: segundas-feiras, 1º de Janeiro e 25 de Dezembro

Preço do ingresso:
Ingresso: inteiro € 6,00 -  meio € 3,00;
Combi:  intero (necrópole + museu) € 8,00, Combi meio (necropoli + museo) € 4,00

Nenhum comentário:

Postar um comentário