sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Praça de Espanha

Praça de Espanha, Roma

A Praça de Espanha


A Praça de Espanha, com a escadaria da Trinità dei Monti é uma das praças mais famosas de Roma. O nome da praça se refere à embaixada do país ibérico junto à Santa Sede.
No centro da praça tem a Fontana della Barcaccia ("barco feio"), realizada no início do período barroco, esculpida por Pietro Bernini.

Igreja Trindade dos Montes com a Barcacci em primeiro plano

 

Monumentos da Praça de Espanha e história da Praça

 O tema do barquinho que está afundando se refere ao marco de uma das piores inundações do Rio Tevere, onde um barco foi encontrado exatamente onde vemos a escultura hoje. Urbano VIII comissionou esta fontana a Pietro Bernini (o pai do famoso escultor barroco), que é alimentada pelo mesmo aqueduto de Fontana di Trevi.

No séc XVIII, esta praça era a entrada principal de Roma, por isto contava com inúmeras pousadas, que os viajantes adoravam encontrar tão rapidamente depois da longa viagem - por isto, esta região era conhecida como o "bairro dos estrangeiros".

Bem no cantinho à direita da escadaria, você vê a casa onde morou o poeta inglês John Keats, que morreu em 1821. Hoje a casa foi transformada em um museu dedicado à sua memória e do poeta Percy Bysshe Shelley.
No canto esquerdo da escadaria, tem uma casa de chá, a Babington's, fundada em 1893.


Escadaria de Espanha


A escadaria de Espanha

A extravagante escadaria de 135 degraus foi inaugurata pelo Papa Bento XIII, durante o ano Jubileu de 1725. Ela foi realizada graças a um financiamento francês para ligar a Embaixada Burbônica Espanhola à Igreja da Trindade dos Montes.

O projeto leva o nome de Francesco De Sanctis e Alessandro Specchi, vencedores da licitação com a sugestão dos terraços enfeitados com canteiros, os quais durante a primavera são ricamente adornados com muitas flores. O efeito cenografico é perfeito: à medida que nos aproximamos, mais vontade temos de subir seus degraus até o obelisco que está lá em cima e nos aproximar da igreja.

Aí esta' mais uma característica da arquitetura barroca: longas e profundas perspectivas que acabam em construções monumentais.

A Igreja Trindade dos Montes

Igreja Trindade dos Montes em Roma

Carlo VIII, rei da França, mandou construir a igreja em 1495 com uma grande navada com seis capelas de cada lado.
A façada de Carlo Maderno, como vemos hoje, foi finalizada no final do séc. XVI, quando Sisto V fez a rua da igreja, a Via Sistina. O convento ao lado e a igreja foram entregues aos Irmãos Menores da Ordem de San Francesco da Paola.
No interior encontramos algumas obras-primas, como a "Deposição", e a "Assunção" de Daniele da Volterra ( o melhor aluno de Michelangelo). Têm também afrescos de Sodoma, Perugino, Giulio Romano, Perin del Vaga e dos irmãos Zuccari.

As redondezas da Praça de Espanha: o Café Greco

Bem em frente da Praça de Espanha, nasce a Via dei Condotti, que é chamada assim pela canalização que recolhia a água da chuva. Aqui voce encontra o historico Caffè Greco, que foi fundado em 1760, muito provavelmente por uma pessoa que vinha da Grécia. Este café é famoso por ter sido sempre um ponto de encontro de artistas e intelectuais. Aqui vão uns nomes de ilustres visitantes, para você ter uma idéia: Stendhal, Goethe, Bertel Thorvaldsen, Mariano Fortuny, Byron, Franz Liszt, Keats, Henrik Ibsen, Hans Christian Andersen e Felix Mendelssohn. Vale a pena entrar e tomar um café, pelo menos no balcão, só para ver a decoração original do período em que foi fundado. Aviso também que neste caso, o preço é "normal", isto é, para todos os bolsos!

Café Greco, o cafè histórico de Roma!


Taça do famoso Café Greco de Roma, na Praça de Espanha
A taça do cappuccino, que pedi com leite de soja e eles já tem!

Indo em direção à Coluna de Maria, você chega na Via Frattina, que além das lojas chiquíssimas, tem o Palazzo di Propaganda Fide (Prédio da Propagação da Fé), que pertence à Santa Sede. Inicialmente esta construção foi progetada por Bernini, mas o Papa Inocencio X o substituiu com o arquiteto Borromini em 1644. Aqui aprendemos como reconhecer o inconfundível estilo do Borromini: a divisão de uma superficie em concava e convexa: o movimento creado destas intercalações faz deste edifício um dos mais interessantes exemplos de arquitetura barroca em Roma.

Lojas da Praça de Espanha

Lojas para fazer ótimas compras perto da Piazza di Spagna: Benetton  Roberto Cavalli , Dolce e Gabbana , Krizia , Alberto Guardiani, Eredi Pisanò , Roberta Scarpa.
Blumarine Anna Molinari   Versace, Mariella Burani ,  Yves Saint Laurent , Amina Rubinacci
Alviero Martini , Gucci , Ermenegildo Zegna , Gattinoni , Roberto Cavalli,  Loro Piana, Moschino , Eddy Monetti , Fendi, Laura Biagiotti.

Vetrine da Moncler da Praça de Espanha


Na via delle Carrozze : Mila Schon , Valentino , Nautica,  Il Portone.
Nia & Co  na via Vittoria .

Sapatos e acesórios: Furla, Yamamay, Nazareno Gabrielli ,  Cesare Paciotti .
Tanino Crisci , Louis Vuitton, Sergio Nesci
Outros tipos de lojas:.Beauty Point , Bruno Calò , Pancrisia, Pastateca 

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Basilica de San Pietro in Vincoli (Basílica de São Pedro Acorrentado)

Uma das primeiras coisas que quis ver em Roma quando cheguei pela primeira vez, foi a Basílica di San Pietro in Vincoli (São Pedro Acorrentado, em português).

Mausoléu de Júlio II
Foto de Leví Pereira

O interesse de Freud pela figura esculpida de Moisés sempre me causou muito interesse quando era uma jovem e entusiasmada estudante de Psicologia na Puc de São Paulo. ”Visito diariamente o Moisés e acho que poderia escrever umas poucas palavras sobre ele”, escreveu à sua esposa. Freud estudou a posição das mãos e interpretou os "chifres" de Moisés. Naquele período a curiosidade se sedimentou dentro de mim e fiquei esperando o momento em que eu poderia ver com os meus próprios olhos esta importante escultura que tinha marcado uma mente tão brilhante como a sua.

Michelângelo escolheu a passagem Ex 32, 1-24 (O bezerro de ouro) para representar este grande personagem bíblico. Seu trabalho tinha sido comissionado pelo Papa Júlio II (Giuliano della Rovere), para a sua monumental sepultura na Basílica de S. Pedro - mas no final das contas, o plano megalomaníaco da sepultura não deu certo e a parte que tinha ficado pronta foi parar em S. Pietro in Vincoli. O desenho original da sepultura era constituido por mais de 40 estátuas, tarefa que implicou em uma estadia de oito meses de Michelangelo em Carrara, escolhendo peças de mármore na pedreira.

Moisés do Michelangelo
Moisés, foto minha

Quando Papa morreu em 1513, Michelângelo tinha terminado somente o Moisés e alguns Escravos moribundos, que se encontram hoje em Florença e em Paris.

Os chifres do patriarca judeu que sempre causaram perplexidade, se devem a um erro de tradução do aramaico, onde a palavra „qāran“ (‏קָרַן‎) foi traduzida na Vulgata (primeira tradução da Bíblia para o Latim) como "chifrudo" e não como "coroado" ou "iluminado" - foi essa a razão para esta tão original representação!

Alguns alunos de Michelângelo terminaram a sepultura, mas o corpo do Papa só chegou nesta Basilica em 1610.

A igreja foi construida em 442, por ordem de Licina Eudóxia, filha do Imperador Teodosio, para conter as famosas correntes que mantiveram São Pedro em cativério na prisao Marmetina; a Basílica é também chamada por esta razão de "Eudoxiana". O prédio que vemos ao lado era um convento, hoje Faculdade de Engenharia.

A entrada com o pórtico de cinco arcadas, foi um trabalho feito pelo Papa Julio II ( papado entre 1503-1513).

Interior da igreja
Nave central
Foto de Leví Pereira

A navada central possui colunas dóricas.
Logo à esquerda depois da entrada, tem a sepultura dos irmãos Antonio di Jacopo Benci, chamados "Antonio Pollaiolo", famosos escultores e pintores florentinos. Seguem várias sepulturas ricamente decoradas com esculturas alegóricas de importantes personagens da Igreja.
À metade da navada, note o mosaico com a única representação de S. Sebastião já ancião.
A igreja possui três ábsides: no altar à direita, tem um Santo Agostinho de Guercino e um retrato do Cardeal Margotti de Domenichino.

O afresco no teto é de Giovanni Battista Parodi e representa o "Milagre das correntes do apóstolo Pedro".

No altar da sacristia, você vê a corrente que dá o nome à igreja em uma caixa realizada em 1477 por Cristoforo Foppa (também chamado de "Caradosso").

Relíquia da Igreja de São Pedro Acorrentado, ROma
Foto de Leví Pereira

sábado, 24 de dezembro de 2011

O Pantheon

"A mais bela ruina romana é, sem dúvida, o Pantheon. Este templo sofreu tão pouco, que se apresenta a nós, como os romanos os viram em seu tempo."
 Stendhal, Passeios romanos

Pantheon, com as amigas

O Pantheon, que em grego quer dizer "todos os deuses") é um edificio da Roma Antiga, construido em homenagem a todos os deuses do Olimpo. Os habitantes de Roma o apelidaram de la Rotonna ("la Rotonda"), apelido que pegou também à praça em frente.

Família da Eliane, que fez um tour maravilhoso em Roma em Dezembro de 2016


O primeiro Pantheon foi construido entre 27 e 25 a.C. pelo Imperador Marco Vipsanio Agrippa, amigo e genro de Augusto, durante o período de trabalhos no Campo Marzio (depois vamos ver o que isso significa). A construção foi realizada por Lucio Cocceio Aucto. O lugar escolhido foi entre a Saepta Iulia e a Basilica di Nettuno, ambos os dois realizados por Agrippa.

Pantheon, minhas primas em 2013

No alto lemos uma inscrição: M.AGRIPPA.L.F.COS.TERTIVM.FECIT ("Marco Agrippa, filho de Lucio, cônsul pela terceira vez, construiu") que vemos até hoje na sua entrada, graças aos constantes restauros que o mantiveram vivo depois dos dois incêndios que o destruíram.

Interior do Pantheon, luz entrando através da cúpola aberta

O edifício que vemos hoje foi rescontruido pelo Imperador Adriano entre os anos de 118 e il 128 d.C..

No séc VII d.C., o Imperador Foca doou o Pantheon ao Papa Bonifácio IV, que o converteu em igreja cristã e a chamou Santa Maria dos Mártires. Dando graças a Deus que isso aconteceu, este maravilhoso edifício chegou tao íntegro a nós. Vocês imaginem que em 380, quando o cristianismo virou a religião do estado romano (e imaginem vocês, que período interessantíssimo na nossa Roma!), era costume dos papas mandar destruir todos os símbolos pagãos, isto é, todos os templos antigos.

Altar do Pantheon

Naquele momento, o papa eliminou todas as estátuas de deuses pagãos e à medida que os séuculos passavam a decoração cristã foi sendo enriquecenda, e hoje temos lindos afrescos do Renascimento.

O espaço interior é formado por um cilindro coberto por um semi-círculo. O cilindro tem uma altura igual ao raio (21,72 m) e a altura total do interior é igual ao diâmetro (43,44 m).

Os materiais utilizados


A construção era feita em tijolos e revestida em mármore - típico modo de construir romano e em contraposição aos gregos, que construiam diretamente em mármore. Hoje em dia temos mármore somente na entrada e no seu interior, quatro tipos.

A inscrição da fachada é feita em letras de bronze. O frontão (decoração do tímpano) era decorado com figuras em bronze, fixadas ao fundo com pinos: a posição dos furos que vemos hoje nos leva à hipotizar a figura de uma grande águia com as asas abertas.
As oito colunas são de granito cinza ou vermelho, material que veio de cavas do Egito.
Os capitéis sao coríntios, com bases em mármore branco e pentélico (branco com estrias verdes), vindos da Grécia.
O piso em mármore apresenta esferas e quadrados, desenho original romano e possui um dreno para recolher a água da chuva que entra pela abertura da famosa cúpola.

A cúpola do Pantheon

 



Pantheon no dia de Pentecostes, com chuva de pétalas

A cúpola foi moldada sobre uma estrutura e foi feita de uma massa de tufo e pedra-pomes. O seu diâmetro é de 43,44 m, e foi realizada com somente uma fundição e decorada no seu interior por 5 ordens de 28 alvéolos (em forma de caixotões). Estes alvéolos que adornam muitos tetos de igrejas ajuda a tornare a sua construçao mais leve, além de decorá-la.

A sua cúpula é a maior que chegou até nós da antiguidade e foi durante muito tempo a maior de toda a Europa Ocidental, até a construção da cúpula de Florença,por Brunelleschi, em 1436!

Aí vai mais uma lenda romana: Dizia-se que apesar da abertura circular no seu teto, a água da chuva não entrava na igreja. Na verdade isso acontecia devido ao chamado "efeito chaminé", causado pelas infinitas velas acesas no seu interior, que produziam tanto ar quente, e este por sua vez, impedia a entrada da chuva, se fosse bem fraquinha.

Personagens ilustres enterrados no Pantheon


Túmulo de Rafael

Os pintores Rafael e Annibale Carracci , o arquiteto Baldassare Peruzzi, e os reis de Itália: Vítor Emanuel II e Humberto I, além da mulher de Humberto I, Margarida I.

Para compreender Roma são necesessários anos de estudo de arte, arquitetura e arqueologia e outros tantos anos para aprofundar este conhecimento e escrever artigos como este. Escolha uma guia profissional pois ela fará uma grande diferença na sua estadia.

Para fazer um tour na Itália com guia em português não hesite em escrever para Guia Brasileira em Roma para pedir seu orçamento.   

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Boas Festas, viajantes de língua portuguesa!


Para reservar um tour, por favor escreva um email através da página http://www.guiabrasileiraemroma.com.br/#!contato/c1lmm


Caros clientes,

a equipe do guiaderoma.blogspot.com agradece a todos os seus clientes
a confiança nos nossos serviços e deseja Boas Festas e Feliz Ano Novo!

Patricia, Christina, Luisa, Maria, Michela, Suzan, Augusto, Paolo e Augusto

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

500 mil bolinhas coloridas na Praça de Espanha


«Rosso-Trevi» volta a atacar!
Bolinhas coloridas de plástico jogadas do alto da igreja de Trinità dei Monti . Quem foi? Graziano Cecchini, o "pintor" da Fontana de Trevi

Meio milhão de bolinhas de plástico coloridas foram jogadas na famosa escadaria, pulando e descendo até a fontana da "Barchetta" de Piazza de Spagna, surpreendendo os turistas!

O senhor artista que tinha "pintado" a Fontana de Trevi disse que esta era uma performance artística com o objetivo de documentar o problema da Arte Contemporanea na Itália. Nas suas palavras "Os politicos nos contam mentiras que não são nem de direita nem de esquerda", referindo-se à falta de fundos para a Arte na Itália.
O nosso herói foi levado à delegacia, junto com outras tres pessoas.

Durante a performance, foram destribuidos flyers com o titolo "Os irmãos da Italia estao de saco cheio" (a frase "irmãos da Italia" se referia a um verso do Hino Nacional Italiano, apelidado de "Hino de Mameli").
Cecchini disse que os lixeiros que tinham chegado massiçamente para remover as bolinhas da Praça tinham chegado "3 vezes", como era possível "que não construissem estruturas para reciclar o lixo? Quem são os novos mafiosos? São as pessoas que dizem não às novas tecnologias. Eu estou protestando contra isso através da arte".

E no meio de tudo isso, os turistas fotografavam animadamente e recolhiam bolinhas de lembrança...

Notícia de Janeiro de 2008

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Fontana di Trevi

Aqui vão algumas observações fundamentais pra você curtir a

 Fontana di Trevi 

quando estiver em Roma. Vale a pena entender melhor o significado das imagens desta maravilha!

Fontana di Trevi  num dia lindo

A Fontana di Trevi foi projetada por um arquiteto chamado Nicola Salvi, que ganhou uma licitação no início do séc XVIII com um projeto que contava a história da construção do aqueduto através do qual a sua água chega, que foi construído dois mil anos atrás... Salvi desenhou uma fontana que é um híbrido do classicismo e barroco - trocando em miúdos, uma coisa exageradérrima que conquista viajantes do mundo todo, todos os dias, do Japão ao Brasil!

Fontana di Trevi, Roma


Os materiais que a compõe são travertino de Tivoli e mármore de Carrara; o tema central da composição é o deus Netuno.

Fontana di Trevi num dia feio!

A  construção do aqueduto da Fontana di Trevi


A lenda conta que os soldados do general Agrippa estavam perdidos nos arredores de Roma e tinham sede. Ao procurar uma fonte de água, encontraram uma linda jovem, que os mostrou onde tinha uma fonte - que ficou então conhecida como "Água Virgem" e assim construiu-se o aqueduto de 26km de comprimento para levar esta água ao centro de Roma.

Fontana di Trevi
As primas queridas na Fontana de Trevi, em Julho de 2013

A iconografia da Fontana de Trevi explicada

No centro, tem o deus Oceano numa biga (carro com duas rodas e puxado por dois cavalos) em forma de concha e puxado por dois Tritões. O cavalo da esquerda é conhecido como o "cavalo agitado", pela postura dinâmica; o da direita é conhecido como "cavalo sereno". Ambos representam os dois momentos das águas do mar: às vezes agitadas, às vezes calmas.

Logo abaixo temos outras duas nichas maiores com alegorias da Fertilidade (à esquerda, com o cone cheio de frutas) e da Saúde (à direita, com a serpente).

Lááá em cima da arquitrave encontramos 4 alegorias que representam: a rica sabedoria; os presentes do Outono; a fertilidade dos campos e a abundância das frutas.

A cena da moça mostrando a nascente aos soldados é o que você vê no retângulo (nicha lateral) lá em cima à direita.
A cena no retângulo da esquerda no alto, mostra o general aprovando a construção do aqueduto, com o engenheiro na sua frente, de joelhos e mostrando o projeto a ele.


Fontana di Trevi, detalhe da parte superior

O Palazzo Poli, às costas da fontana, é a sede do Instituto Nacional de Gráfica e é um edifício da pública administração da cidade.

Jogar moeda na Fontana di Trevi

Dito isso, falta contar a estória da moedinha que todo mundo joga por cima do ombro, de costas para a fontana, para voltar à cidade eterna... bem, a verdade é que não se sabe quem começou com isso, mas o resultado é que a cidade doa o dinheiro à Caritas, que recebe em média 14.000 euros semanalmente (estimados por um famoso programa televisivo chamado Le Iene) dos generosos turistas.

Em 2007 uma pessoa que se dizia artista, fez uma performance na Fontana, colocando anilina vermelha na Fontana...Olha o resultado!

Fontana di Trevi, Wikipedia

A sorte é que o corante é anilina e não danificou o monumento!

Mas lembre-se: à Roma precisa-se tornar!

Gostou do post? Deixe um comentário, é fácil!
-----------------------------------------------------------------------------------------------
Dicas de livros e filmes
-----------------------------------------------------------------------------------------------
Aprenda como escolher a melhor localização para o teu hotel!
-----------------------------------------------------------------------------------------------
Saiba como economizar com o Roma Pass
-----------------------------------------------------------------------------------------------

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Expo de presépios em Roma

Em 2013 até dia 06 de Janeiro 2014!
das 09.30 às 20h
Tickets:
inteiro € 7.50
crianças (4-10 anos) € 5.50

Presépio na Basílica de S. Pedro

Na Itália existe uma grande paixão pelos presépios. Até o dia 7 de Janeiro mais de 200 presépios vão estar espostos na exposição "100 Presepi", que é organizada todos os anos nesta época do ano nas Sale del Bramante na via G. D’Annunzio (perto da piazza del Popolo).
Nesta edição serão apresentados cerca de 200 presépios feitos no exterior, todos inéditos nesta mostra. As formas e ambientes retratados sao dos mais vários períodos da história: os clássicos do séc XVII e XVIII napolitanos e sicilianos; os romanos do séc XIX; nesta esposição serão presentes diferentes tipos de folclore e tradições natalícias de várias paises do mundo: materiais preciosos ou de reciclagem formam o clássico quadro do nascimento de Jesus.

Presépio na Praça S. Pedro, com a cúpola no fundo

Crianças dos 4 aos 11 anos poderão partecipar gratuitamente (apresentado o bilhete de ingresso à esposiçao e com prévia reserva) ao laboratorio “Il Presepe come Gioco” (O presépio como jogo). Monitores especializados ajudarao as crianças a realizar alguns personagens do presépio.

“100 Presepi”
Ingresso: todos os dias das 9:30 às 20:00
Para infomaçoes: 06-85357191 / 06-8542355
site: www.presepi.it


Presépio na Basilica de S. Pedro

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Presente original!

E' possível transformar Roma em uma cidade ainda mais linda do que ela já é?

Rome, ©Marlene Mcloughlin

SIM!Basta olhas pras aquarelas da artista norte-americana Marlene Mcloughlin, que mora em Roma há muitos anos pra ver com os próprios olhos como Roma pode ser ainda mais bonita do que já é! Pacientes e precisos movimentos de mão dosam gotas coloridas sobre o papel em maneira meticulosa e de inconfundível poesia.

Via dei Riari, Roma, ©Marlene Mcloughlin

Preste atenção no silêncio das pinturas, as sombras que representam a cor "cinza" com zilhões de cores pra chegar na tonalidade certa; certa, para os olhos da pintora, que consegue fazer uma cidade linda mas barulhenta parecer tão serena, como se Deus tivesse parado o tempo para que ela a pudesse contemplar - para que nós possamos contemplá-la através dos seus olhos...

Villa Adriana, Roma, ©Marlene Mcloughlin

Tonalidades pastéis e de uma vivacidade única contornam cidades e animais que estão num mundo onde eu adoraria entrar para passear um pouquinho... imagens tranquilas na sua existência e orgulhosas do seu ser, este pincel sussurra a essência da vida na sua força e simplicidade.

Coelho, ©Marlene Mcloughlin

Ave, ©Marlene Mcloughlin

Marlene, continue a pintar para que nós possamos continuar a sonhar!

Piazza del Popolo, ©Marlene Mcloughlin

Contate a Marlene para comprar uma sua aquarela: marlenemcloughlin@hotmail.com

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Feirinha de Natal na Piazza Navona!

Horários Feira de Natal da Piazza Navona 2013-2014:
de 01 de Dezembro 2013 a 06 de janeiro de 2014
dias de semana: das 10.00 às 01.00
nos feriados: das 10.00 às 2.00


Até o dia 6 de janeiro quem estiver em Roma vai poder ver a famosa feirinha de Natal da Piazza Navona. Lá, voce vai poder comprar especialidade típicas natalícias como as meias com doce e chocolates, decorações para o presépio e para a árvore de Natal; barraquinhas com brinquedos, música e os demais artistas, presentes durante o ano todo. A praça conta também com artistas de rua e artesãos.

Perto da "Fontana dei quattro fiumi" tem um carrossel para as crianças, uma verdadeira tradição para os romanos!

O que os brasileiros vao achar estranho é a figura de uma bruxa, um personagem folclorístico ligado aos presentes de Natal. Algumas vezes é descrita como uma velhinha sorridente que tem nas mãos dois sacos: um com coisas gostosas e outro com carvão. Se trata da Befana, corruptela de epifania, também Pefana, passando por bifania e befania.

Carrossel, foto de Cristiano Fotografo 

A tradição diz que uma bruxa voa numa vassoura e distribui presentes para crianças no dia 6 de janeiro e enche de presentes as meias nas janelas.
Normalmente deixa-se um pratinho para a nobre visita, como por exemplo uma mexirica, um arenque defumado, cebola em conserva e um copo de vinho.
Se a criança se comportou bem durante o ano, recebe balas, chocolates, mexiricas, nozes, frutas secas e pequenos presentinhos; em caso contrario, a meia será preenchida com "carvão", que hoje é um açúcar colorido de preto e muito duro de mastigar!